Sob acusação de acobertar pedófilo, bispo de Limeira pede renúncia

Vaticano demorou
para forçar dom Oliveira
 a pedir para sair

O bispo diocesano dom Vilson Dias de Oliveira (foto), de Limeira e do entorno dessa região do Estado de São Paulo, pediu renúncia do cargo no dia 17 de maio de 2019.

O papa Francisco aceitou o pedido no mesmo dia.

Fiéis e pelo menos seis sacerdotes acusam dom Oliveira de pedofilia do padre Leandro Ricardo, que foi afastado da Igreja em janeiro de 2019.

O próprio bispo é suspeito de envolvimento sexual com um menor de idade.

Responsável pelo total de 102 igrejas, dom Oliveira também é acusado por sacerdotes de ter desviado dinheiro do dízimo para uso particular.

O bispo e o padre Ricardo negam as acusações. Dizem que são inocentes.

Em uma carta de despedida aos fiéis, dom Vilson disse que estavam enfrentando “todo tipo de cruzes” e que pediu renúncia “por amor à Igreja de Cristo”.

No dia 12 de maio de 2019, cem fiéis fizeram uma manifestação pedindo o afastamento dom Oliveira, que já há algum tempo evitar aparecer em público.

Agora, fiéis esperam que o bispo e o padre sejam levados à Justiça, mas o que é pouco provável, porque o próprio Vaticano não demonstra interesse por isso.

Com informação do Vatican News e de outras fontes.





Escândalo da Igreja em Limeira se arrasta há 10 anos

Caso brasileiro será exemplar para 'tolerância zero' da Igreja Católica

Padre acusado de pedofilia não deveria ser preso, diz frade

Igreja Católica do Brasil tem menos pedófilos do que outras?



Receba por e-mail aviso de novo post

Comentários