Padre diz que foi substituído por negar dar R$ 50 mil a bispo do interior de SP

Em depoimento à polícia, o padre emérito Ângelo Francisco Rossi, de Limeira (SP), disse que foi substituído em sua diocese em 2012 depois que negou dar R$ 50 mil ao bispo Vilson Dias de Oliveira (foto abaixo), que tinha pedido a quantia para comprar armários para sua casa particular.

De acordo com Boletim de Ocorrência que Rossi registrou na época, o bispo queria que o dinheiro saísse dos dízimos coletados pela igreja Santo Antônio de Pádua, em Americana (SP).





Meses depois da recusa, segundo a denúncia, dom Oliveira tirou Rossi da basílica de Americana (SP), substituindo-o pelo padre Pedro Leandro Ricardo.

Em janeiro de 2019, o bispo teve de afastar Ricardo de suas atividades por ser acusado de pedofilia.

O bispo está sendo acusado de acobertar pedófilo, além de ser corrupto.

Há suspeitas de que o padre substituto tenha desviado R$ 1 milhão dos cofres da diocese.

Dom Oliveira e o padre Ricardo não comentam as acusações porque, alegam, as investigações estão sob segredo de Justiça.

O bispo também não informa se já comprou armário para sua casa em Guaíra, norte de São Paulo, onde nasceu.

Dom Oliveira é acusado
 de ser corrupto e protetor de
 padre suspeito de pedofilia

Com informação de “O Globo” e de sites da região, com foto de reprodução.





Aviso de novo post por e-mail

Documentos confirmam desvio de dízimo em igrejas católicas

Fiéis festejam libertação de bispo católico acusado de roubar dízimo

CNBB diz surpreendida com desvio de dízimo e pede oração





Igrejas que exploram pobres ferem Estado laico, afirma juiz


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

-------- Busca neste site