Acusado de abusos, João de Deus recomendava abstinência a pacientes

Acusado de abusar sexualmente de centenas de mulheres, o médium João de Deus (foto abaixo) prescrevia a pacientes a abstinência sexual de até 40 dias como parte do tratamento.

Médium está no
 Complexo Penitenciário
 de Aparecida de Goiânia

A informação é da monografia “Curas Paranormais Realizadas por João Teixeira de Faria [João de Deus]”, escrita pela pesquisadora Alfredina Savaris, com autorização do médium.

João de Deus dizia que os espíritos ainda pediam que os pacientes evitassem carne de porco, pimenta, bebidas alcoólicas e ovo.

De acordo com a monografia, os espíritos que se manifestavam em João de Deus apresentavam “comportamentos variados: alguns são dóceis e amáveis, outros são ríspidos e mal-humorados”.

Sobre o comportamento sexual do médium não há nada na monografia, que se trata de mais um texto pseudocientífico de endeusamento do curandeiro.

Com informação da Veja e de outras fontes e foto de divulgação da Polícia Federal.



Aviso de novo post por e-mail

Justiça de Goiás indefere pedido para tirar João de Deus da prisão

Já existem 506 relatos de mulheres que acusam João de Deus de abuso

João de Deus sacou R$ 35 milhões após as primeiras denúncias de abuso




Mulheres de pelos menos seis países acusam João de Deus de abuso


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

-------- Busca neste site