Pastor afirma que os endividados não podem deixar de pagar o dízimo


Adventista diz que 
os endividados também
 têm de devolver os 10%
 que 
pertencem a Deus

[notícia e opinião]

Ao comentar a elevada taxa de endividamento das famílias brasileiras, por causa da crise da economia, o pastor Marlon Lopes deu alguns conselhos aos fiéis para que obtenham o equilibro financeiro.

Entre outras coisas, o diretor financeiro da Igreja Adventista do Sétimo Dia na América Latina disse que, para colocar as contas de casa em dia, é “fundamental” manter a “a fidelidade nos dízimos e ofertas”.

Ou seja, os crentes, mesmo em dificuldade, têm de pagá-los.


Na verdade, segundo o pastor, não se trata de pagar o dízimo, mas de devolver os 10% que pertencem a Deus. As prioridades financeiras, segundo ele, são "Deus, família, mundo".

Como se sabe, afirmar que é preciso devolver o que é de Deus é uma velha chantagem de religiões. Se não fosse essa malandragem, talvez as grandes religiões não fossem tão ricas.

No caso do diretor financeiro da Igreja Adventista, parece-me que ele está preocupado mesmo é com a obtenção do equilíbrio na contas de sua igreja, cujos cofres com certeza têm sofrido os efeitos da crise.

Diante do pastor Marlon Lopes, as pessoas mais sensíveis podem vomitar, porque ele, ao pedir dinheiro de quem está endividado, demonstra o quanto é perverso.

Com informações do site Notícias Adventistas.


Deputado evangélico tem projeto para que dízimo seja descontado do salário

Pagar dízimo é mais importante que ter comida, diz mórmon

Para famílias de baixa renda, dízimo é despesa prioritária




Macedo escreve que quem não paga dízimo é 'ladrão de Deus'

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

  1. Uma igreja que se importa mais com o dizimo, mostra a que veio: explorar as pessoas.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Busca neste site