Pular para o conteúdo principal

Pastor Gondim se afasta do ‘delírio de esperar por Deus’


Religioso admite que
 crer é um tormento

O pastor Ricardo Gondim, da Igreja Betesda, escreveu que se afastou da igreja “que se alimenta do delírio metafísico de esperar por Deus, como uma Mulher-maravilha ou um Super-homem”, que tudo pode.

Explicou que continua com fé, embora isso, admitiu, não tenha “sentido racional”.

“[De qualquer forma] não creio mais na promessa religiosa de que livramentos sobrenaturais nos alcançarão, vindos de um Deus que se senta em um trono.”

Sem querer ofender o pastor, ele deixou de acreditar em Papai Noel. Está de parabéns. Conseguiu, acho. A maioria não consegue.


Gondim escreveu que não resvala no ateísmo porque não consegue abafar o “eu creio”, mesmo se sentindo torturado por isso.

Declarou-se humanista.

“Acredito nas iniciativas humanas, nos movimentos solidários, na busca incessante da justiça, na ação profética de instituições que defendem a dignidade humana. Sou irmão de quem arregaça as mangas e luta pelos desvalidos.”

Disse que a sua teologia é apofática, que é aquela que não faz afirmações propositivas sobre Deus.


“Não há como afirmar nada sobre Deus que seja conclusivo, taxativo, descritivo.”

Argumentou que só pode se afirmar o que Deus não é.

“Deus não pode ser mau, discriminatório, injusto, estúpido, dissimulado.”

Mas esse Deus é o da Bíblia, como o pastor sabe muito bem.

Ele só vai se livrar do tormento se voltar a ser um "verdadeiro cristão" ou se tiver a coragem de se assumir como ateu.

Mas é preciso admitir que o tormento, em determinadas circunstância, pode ser intelectualmente  enriquecedor.  

Seria esse o caso?






Movimento evangélico é uma vergonha, diz pastor Gondim

Comentários

Posts mais acessados na semana

Dona Religião é casada com sr. Atraso e têm vários filhos

Bolsonaro fica irritado com aprovação da CoronaVac que vai salvar vidas

Aprovação da CoronaVac significa duro golpe no bolsonarismo

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Bolsonaro compra a novela 'Os dez mandamentos' da Record para a TV Brasil