Origem da religião: ensinamentos dos nossos ancestrais monstruosos

Título original: Origem da religião na pré-história 


por Luiz Felipe Pondé para Folha

Muitos leitores me perguntaram o que aquela peça kafkiana cujo título era "Páscoa" queria dizer na coluna do dia 2/4/2012.

O texto era simplesmente isto: a descrição de um ritual religioso muito próximo dos centenas de milhares que devem ter acontecido em nossa Pré-História.

Horror puro, mas é assim que deve ter começado toda a gama de comportamentos que hoje assumimos como cheios de significados espirituais. Entender a origem de algo "darwinianamente", nada tem a ver com a "cara" que esse algo possui hoje. Vejamos o que nos diz um especialista.

O evolucionista Stephen Jay Gould (1941-2002), num artigo de 1989 cujo título é The Creation Myths of Cooperstown, compara a origem mítica do beisebol (supostamente nascido em território americano e já "pronto") com a explicação evolucionaria do beisebol.

Gould está fazendo no texto uma metáfora do que seria uma explicação evolucionária de um esporte. Ele narra como o beisebol "evoluiu" a partir de comportamentos humanos casuais que na origem consistiam apenas em bater com prazer em frutas redondas ou em cabeças com pedaços de pau, e que a forma final aconteceu na Inglaterra e não nos EUA, muito tempo depois.

A revolta dos americanos orgulhosos de sua mítica criação do beisebol, com a "tese monstruosa" do evolucionista Gould, foi óbvia.

Segundo ele, o que caracteriza a diferença entre conhecer a origem darwiniana de algo, por exemplo, a religião, e fazer mitos sobre ela, é saber que antes de tudo o sentido que a ela damos hoje em dia (religião = "o Bem"?) nada tem a ver com sua origem e que sua evolução deve ter ocorrido a partir de fragmentos desconexos de comportamentos, afetos e ideias, derivados dos subprodutos fisiológicos das mutações genéticas e físicas que sofremos em nossa pré-história.

Cerca de 500 anos atrás praticávamos canibalismo cerebral ritualístico e colocávamos as cabeças íntegras em posições geométricas como numa espécie de santuário.

Achados semelhantes datados de cerca de 300 mil anos atrás, no Paleolítico - como o que descrevo ao final do texto da semana passada -, apontam para rituais semelhantes (ver A Prehistory of Religion, Shamans, Sorcerers and Saints, de Brian Hayden, Smithonian Books, Washington, 2003).

Praticávamos canibalismo ritualístico de cérebros humanos, e crianças sempre foram mais fáceis de serem capturadas -claro, de outros bandos. Tirávamos os cérebros com cuidado para depois colocarmos as cabeças em posições geométricas e com elas fazíamos algo como o que hoje chamamos de santuário.

Semana passada foi Páscoa. Este ano, ela coincidiu com a semana que começa o Pessach, Páscoa judaica. Quando Jesus jantava com seus apóstolos na Quinta-Feira Santa, Ele celebrava o Pessach.

Para os judeus, essa data representa a saída da escravidão do Egito. Para os cristãos, a Páscoa também celebra a liberdade do povo de Israel, mas ressignificando-a como uma liberdade não só política, mas a liberdade da alma diante das várias escravidões da vida.

Os hebreus pintaram as portas com sangue de cordeiro, seguindo a ordem de Deus, para que o anjo da morte não matasse seus primogênitos como mataria os dos egípcios. Esta era a última das pragas que levaria os hebreus à liberdade.

Primogênitos seriam mortos e muitos deles eram crianças inocentes, não?

Cristãos comem o corpo e bebem o sangue de Cristo, um inocente. E "nós" o matamos ou você duvida de qual lado você estaria na história?

Aqueles que pensam que nossos ancestrais monstruosos nada nos ensinam, se enganam.

O grau de parentesco entre a "páscoa" deles e a nossa não é tão distante assim. Celebramos a morte de crianças (egípcias antigas), bebemos sangue e comemos o corpo (simbolicamente) de um inocente, mas isso tudo pra nós representa vida, liberdade.

Afinal, o que teria representado para nossos patriarcas o que eles faziam? Seriam as crianças que eles comiam as "crianças egípcias" deles? Ou seriam elas seus "cordeiros inocentes" por serem crianças?

Enfim, duas certezas: a "Páscoa" melhorou muito nos últimos 300 mil anos e Darwin ainda é diabólico.





Olhavam para o céu, mas nenhuma voz saia daquela imensidão vazia
2 de abril de 2012

Artigos do Pondé.


Comentários

  1. As Crianças Egípcias só seriam inocentes até, talvez, os 15 ou 16 anos. Após isto aprenderiam com seus pais como manter os Hebreus na escravidão. Antes dos 15 anos de idade, provavelmente aos 8 ou 9 anos, aprenderiam, de seus pais, que os Hebreus eram criaturas inferiores e deveriam ser tratados como animais.

    Assim, matando uma geração de futuros escravocratas era uma forma de garantir a descontinuidade ou enfraquecimento de um sistema de escravismo.

    Já comer a carne do inocente tem a ver com obsorver esta inocência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "As Crianças Egípcias só seriam inocentes até, talvez, os 15 ou 16 anos. Após isto aprenderiam com seus pais como manter os Hebreus na escravidão. Antes dos 15 anos de idade, provavelmente aos 8 ou 9 anos, aprenderiam, de seus pais, que os Hebreus eram criaturas inferiores e deveriam ser tratados como animais."

      Então é punição por algo que ainda não foi cometido, tipo "minority report", mas acho que é assim mesmo, o inocente deve pagar pelo que o injusto comete, o pecado só pode ser expiado pelo sacrifício, não importa se for o sacrifício de um inocente. Essa é benevolência de Deus?

      Excluir
    2. Estranho...

      Até hoje não encontraram nenhum documento do antigo egito aonde afirmava que os hebreus eram escravos.

      Não existe nenhum relato egipcio das pragas como tambem não foi encontrado nenhum artefato, no deserto, dos milhares de escravos fujões.

      São apenas conjecturas, baseados em um livro de contos infantis.

      Excluir
    3. A típica justificativa furadíssima usada pelo malabarista William Craig. Fala sério...

      Excluir
    4. Esse cara sabe tanto, mas taaaaanto do cotidiano não registrado de uma civilização há milênios jogada nas sombras do tempo e na bruma dos mitos que me faz supor ou ser um egiptólogo eminente ou... um pretensioso ignorante qualquer.

      Excluir
  2. Gostei.
    Temos que combater as religiões,desmitificá-la,torná-la desnecessária,mostrar a completa inutilidade e sede por poder que os adeptos tem.

    ResponderExcluir
  3. Na história ou estória de Caim e Abel, Deus Yaohu rejeitou a oferta de vegetais que Caim fez, preferindo a oferta de cordeiro morto feita por Abel. Parece que Deus Yaohu quer ver alguém morrendo para ser punido no lugar de Adão e Eva.

    ResponderExcluir
  4. Texto complicado,mas, é isso aí. Os rituais religiosos de hoje possuem um significado que, provavelmente, não tinham no passado. Tudo é uma questão de tempo, lugar e intenções.

    ResponderExcluir
  5. Toda ideia começa simples ate evoluir e não ter mais volta, fica ate incompreensivel e diferente dos primeiros passos.Porque no decorrer vai recebendo toda influencia da miseravel condição humana.

    ResponderExcluir
  6. esse texto é só blablabla, o homem é o unico ser racional do universo, isso mostra que ele ja foi criado com o intuito de adorar, Deus, com o tempo os cultos foram se expandindo, por causa do livre arbitrio dado a ele pelo seu criador. a unica evoluçao que vejo no homem, é a sua autodestruiçao.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O fato do homem ser racional lhe basta como argumento pra concluir que ele foi criado para adorar deus? Pelo visto, alguns foram criados mais racionais que outros...

      Excluir
    2. Você faz parte desse o homem. Você vai se autodestruir?

      Excluir
    3. Izaque Bastos

      O homem pode ser o único ser racional do planeta Terra. Tudo bem. Mas, de todo o Universo? Não há dados que corroborem com essa afirmação.

      Outra coisa: porque o homem, racionalmente falando, deve adorar algum Deus?

      Excluir
    4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    5. Exato Izaque o homem é o único ser racional de um universo com bilhões e bilhões de galáxias cada uma dessas galáxias contendo outros bilhões de planetas e estrelas, obviamente em um universo com tal magnitude o único ser racional se encontra em um pequeno planeta na periferia de uma galáxia entre outras bilhões.

      Excluir
    6. ser racional -> criado com o intuito de adorar, Deus
      ????

      "os cultos foram se expandindo, por causa do livre arbitrio dado a ele pelo seu criador"
      ?????????????

      "evoluçao que vejo no homem, é a sua autodestruiçao."
      ???????????????????????????????


      Seus posts estão cada vez mais incoerentes... hora de partir pra medicação hein...

      Excluir
    7. Eu como ateu é deste tipo de mentalidade que eu gostaria de livrar a humanidade veja que coisa mais depressiva e perdedora foi este raciocínio deste izaque. Infelizmente religiosos e destruição anda juntos.

      Excluir
    8. Anônimo das Apr 9, 2012 08:36 AM
      Isaac Newton, Mendel, C.S Lewis, Tolkien e outros discordam de você.
      Sua frase foi infeliz, se você tivesse dito que destruição e alguns religiosos andam juntos teria sido melhor, generalizar é feio.

      Excluir
    9. Ahhhhhhhh... estou cansado de falar isso, porém volte para sua caverna, seu Troll-Cave torpe.

      Excluir
    10. Destruição em vários parâmetros portanto sim reafirmo o que disse.

      Excluir
    11. A destruição é algo humano. Crentes e descrentes destruiram.

      Excluir
    12. O mais engraçado é que os crentrolls como o izaque batem e batem na mesma tecla infinitamente, entra post, sai post... acho que gostam da atenção.

      Excluir
    13. Livre arbitrio, foi Deus que deu. Deu o odio para ser usado tambem.contra os que tem opinioes diferentes. É isso Izaque Bastos?
      Sejamos coerentes, a natureza é completamente indiferente a nossas escolhas.Destruimos o nosso hospedeiro como uma praga arrasadora e ela o que pode fazer, e o ser imaginario todo poderoso ?
      Nossa civilização vera os recursos do planeta esgotados em breve.

      Excluir
    14. Izaque Bastos

      Sua ignorancia só é ultrapassada pela sua arrogancia.

      Se vc foi criado para lamber os pés e beijar os ovos de seu deus, isso é um pobrema seu. Sua vida intima não nos interessa.

      Eu, com certeza, não fui criado para isso.

      Excluir
    15. falou e falou pura bosta.

      Excluir
  7. O homem no princípio não sabia exatamente nada eram ignorantes em todo seu potencial com relação a ciência e a vida.Os sacrifícios que eles ofertavam são a prova disso, eles acreditavam que tal ato retirava deles a fúria divina. Na própria bíblia você vê relatos de verdadeiras carnificinas de sacrifício, era a maneira que eles tinham de se comunicar com o "além" ,práticas estas herdadas de outras comunidade. Parece que os antigo tinham esta mentalidade puro primitivismo, tenho certeza se a humanidade já tivesse nascido pronta nunca nada disto teria acontecido mais somos fruto de uma evolução lenta e de milhões de anos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yes! E muitos anos se passaram até o homem retirar da ciência explicações que antes eram fornecidas por crença, misticismo e superstição. Homem frágil e medroso diante do poder da natureza...fazia sacrifícios para agradar um ser imaginário que no entendimento humano seria o responsável pelas catástrofes tanto climáticas quanto a relativas a patologias. Pura ignorância. O problema é que em pleno séc. XXI. Ainda existem milhares de pessoas crentes nesses moldes primitivos. Porém na hora do aperto o crente ora mas sai correndo para o consultório médico.

      Excluir
    2. Deus nunca proibiu niguem de ir ao medico por isso os crentes vão ao medico.......
      se voce acha que a fé é uma bobagem...problema seu..

      mas depois que vc chegar a sua velhice e vier terminar seus dias naa terra...você vai sofrer muito no inferno por não acreditar em Deus...ai vc vai lamentar muito cara....boa sorte para vc.

      Excluir
  8. Com o passar dos tempos, tudo foi ficando simbolizado, mas não perdeu a sua essência, de sempre se sacrificar algo em remissão a algum erro cometido contra algum deus. Discordo do Izaque quando ele diz que o homem é o único ser racional, pois todos (ou quase todos) os animais são racionais, só que uns mais do que outros, o homem, logicamente, mais do que todos. E concordo com o Will Papp em relação ao universo. Ele é tão grande que não é seguro afirmar que somos os mais evoluídos de todo o universo, porém do mundo é seguro afirmar que sim. Ass: Winston Smith

    ResponderExcluir
  9. Sabem o que eu acho? Que a ciência é supervalorizada. Exemplo? Quando você precisa fazer uma cirurgia, entrega-se nas mãos de um profissional, cujas habilidades você nem faz ideia de como funciona. Isso é fé cega. Outro exemplo? Aceitarmos que o Universo é assim ou assado porque meia dúzia de cientistas iluminados disseram que é assim. Isso é fé cega também. Ou alguém estuda medicina antes de ser operado ou astronomia para deduzir a idade do Universo etc.? Não! Nós simplesmente acreditamos nas palavras dos mais "sábios" que nós. Porque está em nossa natureza acreditar, seja na ciência ou na religião. No fundo, todas são formas de crenças, de uma forma ou de outra, mas a crença no cientificismo é mais "chique" e dá um status especial para quem a professa. E é isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz... que asneira das brabas!
      Se submeter a uma cirurgia é fé cega?
      Vejamos... você sabe o que é a medicina, ja fez uso dela, ja comprovou que funciona, ja tomou remédio e ficou melhor, sabe de casos iguais de gente que ficou melhor, conhece o profissional que vai te consultar (presume-se), sabe que o cara ja operou e salvou vidas antes, conhece os riscos, tem métodos documentados, dados estatísticos e empíricos e responde judicialmente pelos erros que cometer..... isso é fé cega???
      Agora compare com um crente que esta com algum problema, vai numa igreja ou coisa do tipo, reza pra que um ser invisível que conheceu num livro velho a cure magicamente e se da certo por algum motivo, qualquer que seja, agradece a uma divindade, se da errado, não culpa a divindade... igualzinho né?
      TUDO o que os cientistas conseguiram PROVAR, pode ser constatado por vc ou qualquer um que aplique o método cientifico, basta querer e se interessar. E vc não precisa cursar anos de faculdade pra entender de fisica, quimica, biologia molecular, medicina, só pra ter certeza de que os caras tem alguma razão, pois todos os cientistas de verdade obedecem ao MÉTODO CIENTIFICO.
      Desmoralizar a ciência como vc faz é cuspir na cara de tudo de mais concreto que o ser humano ja conseguiu experimentar, inclusive das pessoas que dedicaram as vidas a criar os remédios que provavelmente ja salvaram a sua bunda algumas vezes.

      Excluir
    2. Ricardo

      Tudo são crenças. Ok. Mas há uma diferença entre crenças religiosas e as outras crenças.

      As outras crenças surgem da gigantesca probabilidade de estarmos certos. Por exemplo: se eu erguer e soltar uma caneta, um lápis, uma pena, um piano, um carro, um avião, um cachorro a probabilidade deles caírem ao solo é enorme. Isso vem acontecendo desde o início dos tempos. Isso é um fenômeno observável. Dessas observações se criaram hipóteses que se transformaram em teorias levando a Teoria da Gravidade. Será que acreditamos que se erguermos e soltarmos um objeto ele irá cair ao chão ou será que nós sabemos disso?

      Outro exemplo: vida em outros planetas. Nunca ninguém viu um ET ou um OVNI. Mas nós sabemos quais são os elementos necessários, as condições necessária para que a vida surja e se estabeleça num planeta. Como nós sabemos disso? Estudando a nossa própria história e a história do nosso planeta. Então, para que haja vida em um planeta é necessário, primeiramente, um planeta. Um planeta que não esteja nem muito perto e nem muito longe de uma estrela. Estrela e planetas não faltam nesse universo. Por questões matemáticas, por questões probabilísticas é razoável acreditar que seja possível existir algum outro planeta com vida.

      As crenças religiosas seguem um outro caminho: o de não pensar e apenas acreditar. Por exemplo: sabemos que ninguém ressuscita depois de três dias morto. Como sabemos disso? Através da medicina, da biologia, da química. Esse é um fenômeno que não é observável tal como a gravidade. Se aconteceu, não está acontecendo mais hoje. Se aconteceu, eu não vi e você também não viu. Logo, é necessário acreditar sem ter nenhuma chance de observar e testar esse fenômeno.

      Resumindo: Crenças religiosas não são verificáveis, enquanto que, as outras crenças são verificáveis.

      Excluir
    3. Ricardo, troque o seu "chique" por "racional"...

      Excluir
  10. Pondé, como de costume, está certo. O tal Corpus Christi é puro canibalismo, só erra em dizer que é algo metafórico. Sou funcionário público e, infelizmente, tem muita beata daquelas fanáticas nesse meio. Conheço algumas delas que afirmam categoricamente que a hóstia vira mesmo carne depois de benzida pelo padre. Elas acreditam mesmo que aquilo é a própria carne do idiota do Cristo.
    Metafórico para quem não é religioso, para o católico fervoroso aquilo é carne sangrenta de verdade.
    E com que prazer ele a põe na boca.
    Mais:
    http://amarretadoazarao.blogspot.com.br/2011/06/corpus-christi-e-canibalismo.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Janer Cristaldo tem ótimos posts sobre isso: a transubstanciação! E para os católicos não resta dúvida: hóstia vira carne e vinho vira sangue após a 'consagração', não é ritual metafórico. Ainda que fosse simbólico, não houvesse a 'mudança', apenas um tipo de recurso 'cenográfico', a ideia inicial, de 'comer minha carne e beber meu sangue' já é algo repugnante e tal primitivismo só poderia mesmo ter saído da cabeça daquele doido de pedra, caso esse doido tivesse existido...Como não há provas da existência do gajo, toda a discussão sobre o que ele disse e fez não soa meio non sense? Pois é...Estamos chegando àquele ponto da novela que todos querem saber e o Vaticano não consegue dar as provas de que Jesus Cristo existiu. Ou prova que ele existiu ou para de encher o saco com o mimimi todo de ensinamentos de JC e por aí vai. O Vaticano precisa ser cobrado até pedir água e jogar a toalha. Para tudo, não se discute ou se dá a mínima pro mimimi deles até que prove de forma cabal que JC, o tal filho da Maria, enteado do Zé capinteiro existiu, nasceu dia tal, viveu aqui e ali, fez isso e aquilo ao longo da vida até a suposta morte. Já passou da hora desse papinho circular que não leva a anda. O ponto é: exisitiu ou não?Provas?

      O resto é resto. Se bem que já sabemos que o resto e provavelmente o todo foi tudo invenção do Paulo.

      Excluir
    2. Que pensamento infantil e primário. Até parece que o cristianismo 'arregaria' por cobranças de falta de evidência feita por INCRÉDULOS! hahahahaha, santa ignorância, Batman. Daqui a pouco vão querer que budistas parem de crer em Shakyamuni, hinduístas em Krshna &c.

      Excluir
  11. Continuamos místicos, frágeis e violentos. No Animal Planet ou National Geographic não me lembro precisamente agora, tem um documentário sobre a caça como forma de manutenção ou aumento de área conquistada por uma população de chimpanzés. Eles (os machos) vão em silêncio, perfilados até a "figueira" (coincidência, não?) onde outro grupo se alimenta e ao surpreendê-los, matam e comem, geralmente um jovem do grupo rival e trazem sua cabeça para as fêmeas e filhotes comerem. E os chimpanzés são essencialmente herbívoros.
    Necessidade de ferro de mamífero (ferro m)? De colesterol pra produzirem hormônios sexuais? Coincidência?

    ResponderExcluir
  12. desculpe autor do texto, mas vc está precisando rever os seus conceitos. sugiro estudar o incrível antropólogo René Girard (principalmente as obras a violência e o sagrado e coisas ocultas desde a criação do mundo). estuda de forma brilhante a relação do sacrifício com a civilização e como este ritual foi desmistificado iniciando com o judaísmo, que foi a primeira tendência a " ficar do lado da vítima" e evoluindo com a revelação do evangelho. leia sem preconceitos.

    ResponderExcluir
  13. Somos ratos de laboratorio,cobais de Deus,o que nos resta é engordar para proxima refeição da realeza.
    Testemunhas de Ponde!
    http://www.youtube.com/watch?v=1hlWHWOR8KI

    ResponderExcluir
  14. O nome disso é falácia genética,nada prova sobre a veracidade ou falsidade da fé cristã ou judaica

    ResponderExcluir
  15. pois é, nossos ancestrais e suas religiões selvagens e rituais monstruosos...
    graças à Ciência e à Razão vivemos em uma época contemporânea, onde se pode sacrificar seres humanos em nome da Verdade com bombas atômicas...

    ResponderExcluir
  16. Pondé, também sou filósofo e pessoalmente acho muito legal as suas reflexões... mas olha a consequência que ela está causando, 60% dos comentários são de pessoas tradicionalistas contra-atacando e aumentando o seu fanatismo em suas crenças por causa do texto, 30% são de pessoas que se apoiam na sua retórica pra justificar uma outra visão fanática a favor de uma destruição total das crenças que nós possuimos... então queria te dizer que filosofia não é pra qualquer um e filosofar, que pode ser um ato divino ou diabólico dependendo do efeito final, não é pra ser feito em qualquer lugar... Veja o que fizeram com a obra O Capital... Ningué, estava preparado para entender, entenderam tudo errado e deu origem a uma repartição do mundo em dois, é isso que você quer?

    ResponderExcluir
  17. Pondé quase sempre é muito bom. Dessa vez também foi. Só achei que não precisava ter explicado o texto da semana passada em sua couna de hoje.

    ResponderExcluir
  18. ponde é uma bicha recalcada que mete o pau na elite mas não teria coragem de erguer um fuzil.

    ResponderExcluir
  19. Exterminemos as religiões para nos livrarmos da ignorância e a da maldade humanas. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!

    ResponderExcluir
  20. Ótimo texto, Pondé! Assim você mostra que não perdeu o fio da meada...

    ResponderExcluir
  21. Fundei minha própria... http://lachesisbrasil.blogspot.com.br/2011/01/fundei-uma-religiao.html

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Busca neste site