Pular para o conteúdo principal

Primeiras comunhões caem 14% na Itália em nove anos

O número de primeiras comunhões na Itália caiu de 500 mil em 2000 para 428 mil em 2009, com uma queda, portanto, de 14%, o que demonstra que a secularização segue firme em um dos países mais católicos do mundo.

O sétimo relatório sobre a secularização da Itália elaborado pela Fundação Crítica Liberelae revela também que os casamentos na igreja caíram em 2009 para 62,8% do total, contra 82,53% em 1991. O número de divórcio aumentou de 23 mil em 1991 para 54.456 em 2009. Houve queda no número de sacerdotes e de freiras e aumento no de diáconos e de catequistas.

O relatório aponta que a Igreja Católica tem tentado reagir à ascensão do secularismo com o aumento de sua presença nos serviços sociais, política e na mídia, principalmente nos programas das emissoras de TV públicas e privadas.

De acordo com estudo de 2009 do demógrafo Eric Kaufmann, da Universidade de Londres, o declínio das religiões, que começou na Europa após a Segunda Guerra Mundial, vai se manter nas próximas décadas principalmente nos países católicos.

Com informação do La Repubblica. 


Comentários

  1. E a cnbb diz que os catolicos crescem?


    ah vá

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pau na bunda da igreja e do Vaticano dos infernos!

      Excluir
  2. pessoal, desculpe usar este espaço (Paulopes, depois pode apagar o comentário), mas como faço p'ra usar negrito, italico, fazer citação(enfim, editar comentário) aqui no blog do paulopes e também no blog do bule voador?

    ResponderExcluir
  3. A maior queda na Igreja Católica foi na década de 60, após o Concílio Vaticano II. As estatísticas dessa época fazem esses dados de hoje parecerem um peido velho.

    ResponderExcluir
  4. Novamente problemas estatísticos aqui. A Itália tem uma das mais baixas taxas de natalidade. Então a queda das crianças pode ser apenas proporcional e não percentual. Não sei se o estudo compara as taxas de natalidade, mas o texto não mostra isso.

    ResponderExcluir
  5. Novamente problemas estatísticos aqui. A Itália tem uma das mais baixas taxas de natalidade. Então a queda das crianças pode ser apenas proporcional e não percentual. Não sei se o estudo compara as taxas de natalidade, mas o texto não mostra isso.

    Possivelmente é uma causa relacionada mas muito provavelmente não o suficiente para dizer que não houve queda.

    ResponderExcluir
  6. A ICAR está perdendo poder e não ganhando mais, até na Itália onde o catolicismo é mais frequente que no Brasil está ocorrendo o fenômeno de comunhão às avessas.

    ResponderExcluir
  7. a icar tem que sucumbir,pois não preencheu o requisito, isto é; deixou o povo pobre na mão do analfabetismo.

    ResponderExcluir
  8. Quando a ciência derrotar o atraso e o fanatismo, a verdade se imporá sobre a fé e as crendices, pois as interpretações fantasiosas, não prevalecerão sobre a racionalidade

    Dee Jay

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Em encontro com Bolsonaro, padre canta que 'Deus pode realizar o impossível'

Vereador critica repasse de verba às igrejas. E é acusado pela bancada evangélica de 'intolerante'