Pular para o conteúdo principal

Itapeva faz proselitismo com a cartilha 'Deus na Escola'

Uma cartilha que será distribuída no próximo ano letivo às escolas públicas do ensino fundamental de Itapeva (SP) faz proselitismo explícito do cristianismo, o que é possível verificar já em sua capa [ao lado], desrespeitando, assim, a laicidade do Estado brasileiro determinada pela Constituição.

Os defensores de que o Brasil seja de fato um país laico acusam o ensino religioso, do jeito que vem sendo ministrado, de ser uma forma camuflada de catecismo, beneficiando a Igreja Católica, a religião ainda hegemônica.

Itapeva é um exemplo de que nem sempre o proselitismo religioso nas escolas é feito com sutileza. Nesse caso, privilegiam-se também as denominações evangélicas, deixando as demais religiões de fora.

A cidade tem cerca de 93 mil habitantes e fica a 289 km de São Paulo.

A impressão de 3.000 exemplares da cartilha "Deus na Escola" foi financiada pelo empresário José Reinaldo Martins Fontes Júnior. Ao assumir esses custos, Juninho da Bauma, como ele é conhecido, investe em sua pretensão de se tornar prefeito nas próximas eleições.

A cartilha faz parte da lei “Projeto Deus na Escola” sancionada este ano pelo prefeito Luiz Cavani (PT). A lei é de autoria da vereadora Áurea Aparecida Rosa (PTB).

A justificativa de Áurea ao propor a lei foi de que "Deus na Escola" incutirá nas crianças valores como o do respeito pela vida, convivência fraterna, democracia e integridade.

Ela acredita que o ensino religioso vai ajudar a combater o uso de drogas. “[Porque] quem fala em Deus teme algo e quem teme tem respeito por si e pelo semelhante.”

A Câmara Municipal aprovou o projeto de lei do “Deus na Escola” com facilidade, conforme era de se supor desde o começo. Em seu plenário de votação há uma enorme cruz.

"Deus na Escola" foi aprovado neste plenário dos vereadores
Com informação e fotos da prefeitura de Itapeva.

Ensino religioso é armadilha para a catequização, diz antropóloga.
maio de 2011

Na escola, o respeito aos outros não pode ser amparado em divindade.
por Roseli Fischmann em março de 2011

Religião no Estado laico.

Comentários

Adelino disse…
Eu acho que o Brasil não tem mais solução.
Unknown disse…
Temer ser torturado pelos militares e temer ser torturado por um fatasma sobrenatural, qual a diferença?
Anônimo disse…
É por isso que esta merda, somos governados por doentes mentais.
Anônimo disse…
Vão ensinar para as crianças que elas devem beber de sangue de um homem morto para elas não queimar no inferno, e que este deus é um filho da puta que se preocupa mais com o que você faz com o seu pinto do que quem esta morrendo de cancer.
Anônimo disse…
Mais uma vergonha,mas o povo pede para ser marionta de religião.Cada povo tem os governantes que merece.
A.RODRIGUES disse…
É, parabéns, proselitismo religioso com intenções políticas.Lindo, lindo.
Que bela democracia hein ? simplesmente mais um modo de se moldar intolerantes.
Fala- se em moral mas eles mesmo estão sendo imorais, ao desrespeitar o Estado Laico, e o pior tem respaldo da administração local.
E esse povo ainda não aprendeu que preceitos religiosos e moralidades são independentes.
Triste, nada mais a acrescentar.
Anônimo disse…
Errata:Marioneta de igreja.
Anônimo disse…
Esta lenda começou a milhares de anos atrás, quando homens primitivos sem nenhum conhecimento ciêntifico do qual para eles tudo era obra de um deus, confabularam uma ideia de bem e mal e a partir dai eles passaram a sacrificar animais a este deus, póis eles acreditavam que tudo de ruim que lhes acontecia era o furor de deus aceso contra eles, com suas observações eles foram selecionando certas coisas que eles diziam ser pecado contra este deus e que isto traziam a eles maldições, e depois inventaram então que este deus queria um sacrificio para não castigar eles, eles inventaram que este deus tanto gostava dos sacrificios como sentia prazer com o cheiro de animais queimados, e isto fazia com que este deus ficava alegre de ter recebido o sacrificio e desistia de lhes fazer mal.

Da mesma maneira que criamos nossa legislação, estes homens primitivos criaram a sua legislação mais baseada num deus, o que deus gosta o que deus não gosta, o que deus quer o que deus não quer, o que enfurece a deus o que não enfurece ,então assim eles foram criando sua legislação teocratica, tudo isto é um mito uma lenda de mentes primitivas voltada para um deus que nunca existiu e nem nunca lhes pediu nada, era tudo delirio daquelas mentes primitivas.
Anônimo disse…
Aí, que tal fazer uma cartilha "Ateus nas Escolas"? Podia usar a mesma imagem da capa, apenas removendo o pedófilo ao centro...
Israel Chaves disse…
Mas aí eles iam dizer que isso desrespeita a liberdade religiosa e o estado laico.
Engraçado, não?
tutty gualberto disse…
É a vez do "kit religioso"
Rita Candeu disse…
essa tal de liberdade religiosa já virou outra coisa né?

arre que é de doer
Igor disse…
Seria hora de o Ministério Público agir...
Glória disse…
É, parabéns, proselitismo religioso com intenções políticas.Lindo, lindo.(2)
Manoel Machado disse…
Engraçado é que não se pode criar pogamas que ensinem o respeio às diferenças, mas, pode-se criar cartilhas para doutrinar crianças... Esse nosso estado laico já virou piada!
Manoel Machado disse…
Engraçado é que não se pode criar pogamas que ensinem o respeio às diferenças, mas, pode-se criar cartilhas para doutrinar crianças... Esse nosso estado laico já virou piada!
Anônimo disse…
Kit Pedófilo
Mari disse…
"Ela acredita que o ensino religioso vai ajudar a combater o uso de drogas."

Eu, que não acredito em deus, não bebo nem bebidas alcoolicas, não fuma, muito menos uso droga.
Desculpinha esfarrapada pra fazer lavagem cerebral.

Que tal fechar as escolas e mandar os padres ensinarem? Assim não tem perigo de algum aluno "simpatizar" com evolucionismo e questionar o deus onibondoso e as chances de a lavagem cerebral ser bem sucedida aumenta.

Ensinar a respeitar os homossexuais ninguém quer.
Ensinar a não votar nesses ladrões de gravata ninguém quer.
Ensinar a respeitar as outras religiões e fazer um estado realmente laico ninguém quer, né?
Anônimo disse…
Que maravilha! JESUS abencoa nossos deputados que ce precupam com a familia e DEUS!!!!
todos sabem que agente pessoas q samos religiozas (espesialmente nós os evangelicos) samos pacificos e nao cometemos violencia e amamos o proximo, grassas agente que ora pelo Brasil o pais continua prospero se nao foce pelas nossas orassoes o Brasil taria pior quanto mais envagelico orando melhor pois as orassoes vao ficar mais poderosas e o Brasil vai se um pais melhor por isso axo impotante que Jesus e Deus sejão esinados nas escola!!!!!!! pois nesse mundo falta cristoes de coracao bom TEMOS QUE SALVAR AS CRIANÇA!!!!! ante que elas fiqem ateus e macumbeiras ou gays! antes que elas pequem!!!!
Regina Chacon disse…
Todo preconceito é odioso. Reduzi-lo à religião é fomentar um preconceito do século XIX, o cientificismo comtiano positivista. Para os neopositivistas de agora, a relgião representa o atraso da consciência da humanidade em sua "fase mágica". Pelo que vemos nos comentários e numa análise literária-linguística; lêem muito pouco e repetem bastante, os fundamentalistas do ateísmo e do laicismo; pouco aproveitamos que não seja reminiscência de velhos e caducos debates. Todos sabemos que o Estado é laico, o que não quer dizer necessariamente ateu. E que se a consciência coletiva da nacionalidade persiste -malgrée les circonstances, e para furor dos ateus- cristã, e ocidental; retirar os símbolos, deus, ou a Bíblia, de um povo que nem é alfabetizado...Que importância terá? Os pastores diminuirão sua fúria de vendilhões do Templo? As pessoas deixarão de comparecer ao círio de Nazaré, ou de fazer promessas à Aparecida? Essa lenga-lenga e a subsequente pendenga, além de inúteis, são pomposas bravatas; ninguém está realmente empenhado,-de ambos os lados, militantes crentes ou incréus-, numa campanha nacional de alfabetização, de implementação da noção exata de cidadania. Os crentes postulam que reza, submissão e subserviência ao modelo antigo, referendado no temor divino, produzirá por si só um mundo melhor. Os ateistas laicistas crêem fundamentalmente que retirado Deus, ou pelo menos o símbolo e a interjeição da lingua(que é o que hoje resta); instalar-se-á messianicamente o reino da consciência terrestre! Santa Fides! Crassa ingenuidade. Como se a corrupção, o carnaval, e os big-brothers, e as novelas da Globo; não produzissem já um catecismo diário, e uma evangelização hipnótica e alienante diária; maior que a das litanias, dos cultos e das missas! Deus já foi destronado, e desde o século XVIII...Comte já estava cem anos atrasado. Que dirá os neopositivistas de agora (como os positivistas de então), com seu velhíssimo dogma republicano e sua Inconceição Maculada.
Anônimo disse…
Cadê o Ministério Público ?
Igor disse…
“lêem muito pouco e repetem bastante, os fundamentalistas do ateísmo e do laicismo”

Falácia ad hominem. Ainda por cima, atribui aos defensores da laicidade a condição de fundamentalistas ateus e o laicismo, sem ao menos demonstrar a veracidade da afirmação.

“Todos sabemos que o Estado é laico, o que não quer dizer necessariamente ateu.”

Acusou os interlocutores de lerem pouco e repetir bastante, mas logo após utilizou-se de uma frase de efeito tão repetida quanto sem profundidade e conteúdo.

Óbvio que estado laico não é ateu. E ninguém está fazendo afirmação neste sentido. O que parece é que você está confundindo a aplicação da laicidade com o ateísmo, o que nem de longe procede.

“retirar os símbolos, deus, ou a Bíblia, de um povo que nem é alfabetizado...Que importância terá?”

Importância de enaltecer a democracia, principalmente no tocante da liberdade religiosa e do sentimento popular, podendo, inclusive, melhorar a educação e tirar as pessoas do analfabetismo e da ignorância.

Se você não enxerga importância, não se preocupe com a questão: deixe que os defensores da laicidade façam o que julgam ser importante.

“Essa lenga-lenga e a subsequente pendenga, além de inúteis, são pomposas bravatas”

Tão inútil que é discutido em todos os países democráticos laicos, principalmente nos mais desenvolvidos.

Inútil, a meu ver, é criticar sem nem ao menos se informar sobre o tema.

“Os ateistas laicistas crêem fundamentalmente que retirado Deus, ou pelo menos o símbolo e a interjeição da lingua(que é o que hoje resta); instalar-se-á messianicamente o reino da consciência terrestre!”

Quem são os “ateístas laicistas” [sic]? A retirada dos símbolos religiosos das repartições pública não é pleito exclusivo de ateus, e nem encabeçado por eles, mas sim por pessoas esclarecidas e comprometidas com a democracia. Tanto no Brasil, quanto no Canadá, em Portugal, na França, na Alemanha e etc.

Fora que essa pseudo-justificativa é você quem afirma. Não é demonstrada sua veracidade!

“Como se a corrupção, o carnaval, e os big-brothers, e as novelas da Globo; não produzissem já um catecismo diário, e uma evangelização hipnótica e alienante diária; maior que a das litanias, dos cultos e das missas!”

Falácia tu quoque: tenta justificar um erro apontando outros erros, como se isso validasse algo.

E a questão da laicidade não visa combater todos os males da sociedade, mas sim aos fins que este princípio se propõe. Para alguém que começou acusando que outras pessoas pouco lêem ou repetem os demais, você não aparenta ter muita leitura sobre o tema, e chegou repetindo jargões e frases de efeito. Até porque está querendo buscar a questão para uma apuração monotemática, como se um ato ou princípio viesse resolver tudo, diminuindo a importância das demais questões. E não adiantou ficar tentando enfeitar seu texto com termos como “neopositivistas”, pois não o revestiu de algum conteúdo culto e de alguma profundidade intelectual.
eu prefiro que meu filho receba uma cartilha sobre Deus do que o kit-gay ou mesmo um cigarro de maconha... embora eu ache que religião se aprende em casa e na igreja, nas escola se desenvolve o saber secular, não tem nada que ensinar religião ou apenas uma religião...
Anônimo disse…
religião para criança é covardia.vamos entrar na politica ateus brasileiros.
Anônimo disse…
Ou você teme ou você respeita, não existe essa coisa de temer e respeitar.
Anônimo disse…
Jesus é inofensivo e sua palavras que permanecerão para sempre independente de qualquer coisa também. Isto na tem haver com religião, é um conceito de vida.
Anônimo disse…
Anonimo19:03
Crente e analfabeto.
Ótima formação!
Salvar as crianças de serem pessoas cultas!
Izaque Bastos disse…
Igor , quer um estado laico? vai pra coreia do Norte?lá as pessoas sao mais desenvolvidas do que aqui, pois lá nao acreditam em Deus, nem sabe se ele existe no nome, o Deus de um estado ateu, é o proprio estado.quanta hipocrisia, enquanto os verdadeiros democraticos quer diminuir o estado, outros querem que o estado tome conta de tudo.
ejedelmal disse…
@Netto

Pois eu prefiro que meus sobrinhos recebam uma cartilha de conscientização sobre a homossexualidade do que o KIT-PEDÓFILO ou mesmo um CRUCIFIXO... no mais eu concordo contigo, de que religião se aprende na igreja, e de que na escola se desenvolve o saber secular. Não tem nada que ensinar religião ou apenas uma religião...
Anônimo disse…
Boas Paulo?? Coloca um SP na frente do Itapeva lá no titulo, quando fui ver materia ontem me estrnahei, eu moro em Itapeva mas não to sabendo de nada disso, hehe, eu moro em Itapeva no Sul de MG (10 mil hab), 100 km de SP Capital.

Eliezer
Izaque Bastos disse…
se adorar a Deus produzisse pessoas incultas, entao onde estariam pessoas como J.R.R Tolkien, e C.S.Lewis?considerados os maiores escritores do seculo xx?
Anônimo disse…
Adorar a deus cria pessoas como você por exemplo.
Anônimo disse…
Nem todo padre é pedófilo, nem todo crente é inculto,...tem razão.
Paulo Lopes disse…
Anônimo das 09:30: sugestão aceita: coloquei SP no título do post.
Anônimo disse…
Izaque Bastos disse...

"Igor , quer um estado laico? vai pra coreia do Norte?lá as pessoas sao mais desenvolvidas do que aqui, pois lá nao acreditam em Deus, nem sabe se ele existe no nome, o Deus de um estado ateu, é o proprio estado.quanta hipocrisia, enquanto os verdadeiros democraticos quer diminuir o estado, outros querem que o estado tome conta de tudo."

Izaque, você confunde Estado Ateu [na verdade, comunista] com estado Laico [secular]??
P'ra que usar de falácias p'ra argumentar?
Nenhum laicista busca um Estado Ateu, até porque seria uma contradição. Aprenda a diferenciar os termos antes de defecar pelos dedos e fazer sugestões irônicas paradoxais e sem sentido.

Estado Laico visa neutralidade [secularismo]; o que você sugere com seus devaneios é que aquele [Estado Laico] busca a prevalência do ateísmo sobre todas as religiões, o que é um erro grosseiro de raciocínio e de conceitos sobre o tema.

Mordredis
Anônimo disse…
Izaque Bastos disse...

"se adorar a Deus produzisse pessoas incultas, entao onde estariam pessoas como J.R.R Tolkien, e C.S.Lewis?considerados os maiores escritores do seculo xx?"

Nenhuma pessoa sensata faz tal consideração/afirmação. Tal fato [pessoas religiosas também serem cultas] não invalida a argumentação a favor da laicidade [de que o ESTADO não pode/deve fazer proselitismo religioso]. A reclamação em defesa da laicidade [o município de Itapeva não pode promover a cartilha] visa apenas garantir que o Estado Brasileiro não vai interferir [a favor ou contra] em questões religiosas, cumprindo dessa forma o princípio da Laicidade que está previsto na Constituição Federal de 1988:

"Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

I - estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público;"

Mordredis
Izaque, tanto a Coreia do Sul e a Coreia do Norte compartilham de uma herança budista e confucionista e uma recente aparição do movimento cristão. A constituição da Coreia do Norte declara que a liberdade de religião é permitida. De acordo com os padrões de religião ocidentais, a maioria da população norte-coreana pode ser caracterizada como irreligiosa. No entanto, a maioria é definida como religiosa de um ponto de vista sociológico e pelo fato da influência cultural de religiões tradicionais como do budismo e confucionismo ainda ter efeito na vida espiritual da Coreia do Norte.

Cristianismo é a quinta maior religião da Coreia do Norte (460.000 adeptos).

Fonte: Wikipédia.
Sinceramente, não posso mais chamar o Brasil de laico. Esse proselitismo religioso com intenções políticas é a nova aberração brasileira.

Doutrinar crianças deveria ser considerado crime. É nojento você querer dogmatizar pessoas que nessa idade ainda não tem um discernimento muito bem desenvolvido das coisas, e acredita em qualquer coisa como papai noel, coelho da páscoa e monstros do armário. Religião precisa de mais pessoas dependentes dela, e nessa idade, são presas fáceis, são mais fáceis de manipular. Simplesmente repugnante.

Uma coisa que aprendi recentemente é que religião NÃO ensina moralidade. Ela ensina reverência a uma autoridade. Isso é um substituto da moralidade. Você simplesmente aceita que há um ser que pode tudo e que sabe tudo, e você deixa ele pensar no seu lugar e decidir por você o que é certo e errado, porque ele sabe o que é melhor para você, mesmo que isso passe por cima da sua própria moral. E, hipoteticamente falando, ele pode, já que ele é o chefe da máfia que pode fazer o que quiser com você, até quebrar suas pernas se não obedecê-lo.

Não é a primeira vez que pergunto a um cristão: "Você mataria seu filho se deus pedisse?" e recebo uma resposta positiva, às vezes até um "com certeza". Na minha opinião, esse tipo de pessoa deveria ser considerada louca, encarcerada e proibida de ter família, porque obviamente não está apta para viver em sociedade. Isso mostra a preguiça moral e intelectual do fundamentalismo cristão. Você abdica de sua moralidade em favor da obediência de uma autoridade.

É isso que eles querem fazer com nossas crianças. Querem que elas sacrifiquem sua humanidade, seu respeito próprio, sua decência e sua moralidade para reverenciar um delírio e se tornarem pessoas amorais.
Izaque Bastos disse…
duvido se o cara do wikipedia foi lá pesquisar, a coreia do sul meu querido, é a terceira maio naçao crista do mundo, e protestante, na coreia do Norte, nao existe liberdade religiosa, essa semana mesmo a ONU condenou a coreia do Norte por nao ter democracia, liberdade religiosa e de imprensa, totalmente diferente da coreia do SUL , que hj é um exemplo de país de primeiro mundo.
só pra citar, um professor iniciante de escola secundaria na coreia do Sul,ganha em torno de 10,800 reais, segundo um estudo da propria ONU, e ao coreia do NOrte ateia? recebem o mesmo que um que nunca estudou.

laico no sentido amplo da palavra, nao separa as pessoas que formam o estado de religiao, mas sim religiao e estado que sao diferentes, mas se estado e religiao sao formados por pessoas proselitas de alguma religiao, nao existe nada demais, que esse estado possa fazer parcerias com religioes para melhorar o ensino, ou a educaçao, ou a organizaçao de interesse publico.
pessoas publicas podem ser religiosas, o que nao pode é o estado se tornar religioso,pessoas publicas que defendem o interesse da maioria pode apresentar projetos de leis que a populaçao aprove.pois os mesmos foram eleitos pela maioria, que na cidade com certeza sao cristaos, o estado é do povo e nao o povo do estado.
Não, você está totalmente, absolutamente e ignorantemente errado.

Estado Laico é estado totalmente separado da religião, ou seja, a religião não interfere no estado, nem em questões socio-políticos-econômicos, e as leis não são formadas sob dogmas religiosos, não interessa se a maioria das pesssoas são cristãs ou os políticos que nos representam são cristãs. Não vivemos na ditadura da maioria.

Se for pela sua lógica, viveriamos numa ditadura cristã.
Anônimo disse…
Os absurdo de uma teocracia
você ve na biblia, la diz que
só um povo é o povo de
deus e logo todos que não
são deveriam ser
exterminados ,judeus
baseados nesta fé cega
mataram muita gente , a
propria biblia fala de um
diluvio onde o tal deus
assassinou toda uma
humanidade é claro que isto
é mentira, mais serve para
exemplificar a mente
assassina e doente deste
povo.
Mais deu tudo errado e o
proprio deus renegou
tudo ,renegou teu povo e
lhes faltou com as promessas
e faz com que seja salvo
apenas aqueles que aceitam
o cristo ,cristo este que foi
morto a deus sacrificado a
ele mesmo para apagar o
ódio que ele tinha da sua
criação.
O cristianismo alimenta um
desejo mortal de genocidio a
seus contrarios esta é a
mensagem do cristianismo
que atormenta aqueles que
abraçam estas ideias
medievais, não existe
cristo ,nem deus , nem
espirito santo, sem ser por
aqueles que dizem que eles
existem.
Anônimo disse…
Assembléia legislativa? Não, assembléia cristã. Notaram o crucifixo lá na tribuna?

Como é uma representação popular se mantém símbolos religiosos em público?

Com certeza que lá não tem nada que lembre um estado laico.
Izaque Bastos disse…
numa democraicia, o representante é eleito pela maioria de votos, se essa maioria é cristã, entao ela que elegeu seus representantes, estado laico, é dar direitos a todos cidadaos de expressar suas vontades nao interferindo nisso.
muitos dizem que só os cristaos tem privilegios, nao é verdade, existem cultos afros dentro do congesso nacional, o senhor ACM , quando era vivo, proibiu cultos evangelicos lá, e só permitia cultos afros, isso quando ele foi presidente do senado, mas todos perante a lei pode ir fazer culto onde bem entender, basta requerer.
Unknown disse…
Não tem nada de religioso nessas leizinhas e mensagenzinhas, é puro marketing.
Já fui religioso, e no final dos anos 80 aprendi muito mais a ser cidadão nas aulas de educação moral e cívica que ouvindo reza.
Infelizmente foi a única coisa boa do tempo da ditadura que exterminaram sem piedade, as aulas de educação moral e cívica.
Quanto ao resto, eu quero que esse povo se entupa de suas superstições e misticismos. O meu querido povo brasileiro merece o governo que tem, merece ser manipulado por qualquer coisa, inclusive a própria crença, não porque é religioso demais, mas porque tem vocação para ser burro mesmo.
Denise Queiroz disse…
Mandaram o Estado laico prá PQP!!! Nem jizuis salva!
Igor disse…
Izaque,

“Igor , quer um estado laico? vai pra coreia do Norte?”

Argumentum ad hominem: ataque ao interlocutor, ao invés dos argumentos. Pura falácia!

Ainda por cima, incorre em erro primário: Coréia do Norte não é um estado laico, mas sim ateu, o que evidencia que você não sabe os conceitos de laicidade e de ateísmo.

“quanta hipocrisia, enquanto os verdadeiros democraticos quer diminuir o estado, outros querem que o estado tome conta de tudo. “

Falácia do apelo à autoridade anônima: afirma que os “verdadeiros democraticos” [sic] querem diminuir o estado, não os apresentando e nem fundamentando porque seriam os verdadeiros democráticos.

Ademais, democracia não é sinônimo de estado forte ou fraco, pequeno ou grande. Isso é corrente ideológica. Mas uma coisa é certa: laicidade faz parte do conteúdo da democracia!

“laico no sentido amplo da palavra, nao separa as pessoas que formam o estado de religiao, mas sim religiao e estado que sao diferentes, mas se estado e religiao sao formados por pessoas proselitas de alguma religiao, nao existe nada demais, que esse estado possa fazer parcerias com religioes para melhorar o ensino, ou a educaçao, ou a organizaçao de interesse publico.”


A única coisa que você acertou na sua – tentativa de – definição de laicidade é que religião e Estado são diferentes – na verdade, são instituições separadas e autônomas. No restante, está totalmente equivocado.

O Estado pode sim fazer parcerias colaborativas com religiões em prol do interesse público. Só que essas parcerias não podem ter caráter religioso, menos ainda confessionais – como é o caso dessa cartilha! Cito o constitucionalista José Afonso da Silva:

“Mais difícil é definir o nível de colaboração de interesse público possibilitada na ressalva do dispositivo, na forma da lei. A lei, pois, é que vai dar forma dessa colaboração. É certo que não poderá ocorrer no campo religioso. Demais, a colaboração estatal tem que ser geral a fim de não discriminar entre as várias religiões.”

Observe que de forma alguma a cartilha poderia ser confeccionada e distribuída pelo Poder Público, pois além não ser de interesse público, é voltada a propagação e doutrinação para determinada religião, o que fere frontalmente a laicidade do Estado.
Igor disse…
(continuando)

“pessoas publicas podem ser religiosas, o que nao pode é o estado se tornar religioso”


E ninguém está afirmando o contrário. Mas sua afirmação acaba sendo contraditória ao que você argumenta no geral: se o Estado faz proselitismo em favor da fé cristã com a distribuição de cartilhas nas escolas, então o Estado se torna confessional, ou seja, religioso. Se você diz que o Estado não pode se tornar religioso, portanto, não poderia estar defendendo tal atitude inconstitucional da Câmara de Vereadores de Itapeva, pois incorre em contradição!

“pessoas publicas que defendem o interesse da maioria pode apresentar projetos de leis que a populaçao aprove. ois os mesmos foram eleitos pela maioria, que na cidade com certeza sao cristaos, o estado é do povo e nao o povo do estado.”

Somente se não contrariar a Constituição e os direitos e garantias fundamentais dos indivíduos. Democracia não é simples governo de maioria, e nem se confunde com eleições.

E não se esqueça que a Constituição foi fruto da escolha do povo, em geral, e que privilegiou – como nas demais democracias mundiais – os direitos individuais antes mesmo dos direitos da maioria.

“estado laico, é dar direitos a todos cidadaos de expressar suas vontades nao interferindo nisso.”

Está confundindo conceito de liberdade religiosa com conceito de laicidade. O direito de todos os cidadãos expressarem sua fé é liberdade religiosa, ou até mesmo tolerância religiosa, que pode acontecer – como acontece – em países que não são laicos. A laicidade visa garantir a neutralidade estatal diante todas as confissões religiosas, de crença ou descrença, tornando suas políticas e atos isentos de dogmas religiosos, e transferindo a questão de fé – ou a ausência desta – para a esfera privada dos cidadãos, com isso garantido a plenitude dos direitos e garantias individuais, principalmente no tocante ao sentimento religioso e na liberdade religiosa.

“muitos dizem que só os cristaos tem privilegios, nao é verdade, existem cultos afros dentro do congesso nacional, o senhor ACM , quando era vivo, proibiu cultos evangelicos lá, e só permitia cultos afros”

Só porque você não quer: a aprovação desta cartilha é um exemplo de privilégio aos cristãos. E mais: ostentação de crucifixos religiosos, leis que determinam o ensino religioso, custeio de eventos cristãos, capelães nas forças armadas, Concordata, Lei Geral das Relgiões, etc. Ficaria durante dias, senão meses, descrevendo os privilégios dos cristãos no Brasil.

Ademais, se realmente for verdade que o ACM só permitia cultos afros (carece de informação verídica), isso não valida o privilégio aos cristãos, passo que não poderia era haver cultos de nenhuma religião dentro do Congresso.

“mas todos perante a lei pode ir fazer culto onde bem entender, basta requerer.”

Menos dentro das repartições públicas como agentes representantes do Estado, ou como política oficial do mesmo.

teste
Fratelli disse…
Nivaldo está certo.É puro marketing.
Anônimo disse…
o que eles chamam de ensino religioso, nada mais é do que pregação católica. No máximo o que eles ensinam é uma história muito vaga de cada reliogiao. é pura hipocrisia de brasileiro, dizer que tem "ensino reliogo" nas escolas, quando na verdade, é quase como se fosse catequese. eu sou ateia, to no colegio, e comprovo isso aí.
Medius disse…
E eu prefiro que meu filho receba um livro de história ou de matemática. E aí?
_O que acontece é uma preocupação, exagerada, com a religião! A religião nada tem a ver com Deus; se as pessoas despertassem para este fato, se voltariam para o Deus Vivo, agora!
Anônimo disse…
Pois é a crença nessa m... de deus vivo que originou toda essa bostalhada de religião.

Precisamos de ética e cidadania, não da truculência das crenças provindas da Idade do Bronze e suas morais extremamente dúbias e hipócritas.

Ruggero
Anônimo disse…
Devia ser extinto o cargo de vereador. Que cambada de inúteis! Deíamos trocar esse cargo, emporcalhado por proselitistas e corruptos, por administradores concursados.
Anônimo disse…
Feliz da sociedade que tem como base Deus.

Que se foda-se quem não concorda. É totalmente correto os ensinamentos religiosos nas escolas. Chega desse mundo imoral e doente, chega dessa doença do humanismo secular. Mesmo o Brasil sendo laico, é perfeitamente legal o repasse da religião pelo ensino.

Estado laico não é estado ateu, esta precisando ler um pouco a constituição. Estado laico não é excluído de religião, estado laico só não tem religião oficial.

Se o projeto de lei foi votado, aprovado, e a população aprova, que se foda-se os céticos imorais que querem uma sociedade imoral como eles são.

Parabéns para esse município, poderia acontecer isso em todo o Brasil.
Émerson disse…
Olha meu caro, axo que você se engana quando se fala em Laicidade ou Estado Laico. Estado Laico é um país aberro a todas religiões, mas que não assume nenhuma como sua representante. Na prática o que não pode acontecer em espaços públicos é a difamação ou a falta de respeito com outras religiões, mas em nenhum momento diz-se que não pode ser falado sobre religião nas escolas por exemplo. Afinal, nas escolas são estudadas em geografia a religião de cada povo e é discutido pontos de vista a respeito de um certo tema a partir de uma religião pautada na ciência.
Busque informar-se meu caro, Laicidade é diferente de Laicismo, então a atitude de falar sobre Jesus numa escola não se trata de proselitismo já que não está desmerecendo outras religiões e nem fere a constituição.

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Terraplanista vai a Noruega, vê o sol da meia-noite e admite que a Terra é redonda

Contar o número de deuses é difícil porque são muitos, dezenas de milhares, milhões

Bíblia tem mais de 2,5 milhões de mortes em nome de Deus

Darwin teve a melhor ideia de todas porque liga vida, física e cosmologia, diz Dennett

A beleza ilusória do mundo da nuvem digital tem impacto na saúde mental

Não acreditar em Deus é atalho para a felicidade, afirma Sam Harris

Evangélicos acham que o dízimo é investimento financeiro, afirma estudo