Pular para o conteúdo principal

Igreja Católica da Alemanha lucra com livros de pornografia

Doze das 27 dioceses da Igreja Católica da Alemanha possuem 24% das ações da Publishing Group Weltbild. Isso significa que elas vinham se beneficiando dos lucros da editora com a venda de livros como “Vagabundas” e “A Prostituta do Advogado”, de conteúdo pornográfico, além dos de temas esotéricos, magias e satânicos.

As primeiras queixas de fiéis contra esse negócio da igreja datam de 10 anos atrás. Depois, em 2008, um grupo de católicos enviou para cada um dos bispos um relatório de 70 páginas sobre o tipo de livros editados pela Weltbild. Os bispos e as 12 dioceses fingiram que nada tinham a ver com o caso.

A Weltbild é uma das maiores editoras da Alemanha. Por seu catálogo passaram mais de 2.500 livros, entre os quais o best-seller de Dan Brown "O Código da Vinci", que tem sido muito criticado pelos católicos. O faturamento anual da editora é de € 1,6 bilhão, cerca R$ 3,6 bilhões.

Esse faturamento explica por que as dioceses se mantiveram tanto tempo como sócias de uma editora com interesses seculares tão diversos.

Pressionadas por fiéis, imprensa e o papa Bento 16, as dioceses anunciaram na semana passada que vão colocar à venda a sua parte da editora. Dom Joachim Meiser, arcebispo de Colônia, anunciou a decisão com uma frase de efeito: “Não podemos ganhar dinheiro durante a semana com algo contra o qual pregamos aos domingos”.

Não podem, mas o fizeram por mais de uma década.




A repercussão do caso das ações reforça a desmoralização da Igreja Católica na Alemanha, onde houve em 2010 uma avalanche de denúncias contra mais de 100 padres pedófilos. Por conta disso, só naquele ano cerca de 25 mil fiéis se afastaram da diocese que foi dirigida pelo cardeal Joseph Ratzinger, que se tornaria o papa Bento 16.

Com informação das agências.

Igreja alemã propõe pagar até R$ 11,5 mil a cada vítima de padre
março de 2011

Comentários

  1. Tá certo!

    Hoje em dia tem de acender uma vela pra deus e outra pro diabo! :D

    ResponderExcluir
  2. Agora, falando sério: o problema das religiões baseadas nas mitologias do deus de Abraão sempre tiveram problemas sérios com a sexualidade humana, que por si só, de pecaminosa não tem nada.

    ResponderExcluir
  3. Avelino Brago, pecado é uma definição religiosa, o que e o que não é pecado varia de religião pra religião.

    Quanto à matéria, devemos dar uma colher de chá pra ICAR afinal, é pornografia adulta sem pedopadres :D

    ResponderExcluir
  4. Religião é coisa do DEMO!

    ResponderExcluir
  5. Mas que pouca vergonha!!!Vão queimar no inferno!!!
    Isso é coisa do demônio. Ele está dominando cada um deles!!!

    rsrsrsrsrs...
    hum...acho que uma alma cristã teria mais o que dizer^^

    ResponderExcluir
  6. Concordo com o Avelino, as religiões oriundas da mitologia judaica sempre tiveram sérios problemas na compreensão da sexualidade humana. O mito do pecado original criou mentes moralistas e ignorantes, e por fim a sexualidade foi denominada pecado.

    ResponderExcluir
  7. Acho que o que está em questão não é o problema gravíssimo dos católicos com sexualidade, é mais a hpocrisia clássica dos cristãos de ignorar pecados/contradições quando essas dão lucro. Dá dinheiro? Não é mais pecado. Os fiéis estão fugindo porque não concordam com essa regra? Agora deus mudou de idéia e permite. O negócio que vai contra as pregações dá rios de dinheiro? Finge que não é com você e torça para o assunto morrer. A bebida do diabo é boa? É só benzer que ela vira de deus.
    E por aí vai...

    ResponderExcluir
  8. Com a possibilidade das compras de ações, é comum se comprar ações de um grupo sem intervir diretamente na administração dele. Parece ter sido o caso. Isso é muito ruim porque prejudica muito a imagem da Igreja. Quem administra bens da Igreja não pode esquecer o que ela é, e não agir como um simples banco de investimentos.

    ResponderExcluir
  9. ...Falando-se de pecados,imaginem...tem uma igreja aqui perto da minha casa,em paranagua-litoral do parana´,em q a mulher do pastor ensinou pras ´´irmans`q elas nao devem usar roupas intimas da marca ´´langeries``,por q e´´ roupa do diabo(ja imaginou ,entao o diabo de langeries?...kkkkkkk..),entao a gente ve aquelas mulheres com o cabelo bem comprido indo ao supermarcado indo comprar panos-de-saco pra fazer calcinhas e sutias,por q e´´ isso q Jesus quer q as irmans usem e nao essas roupas ´´escandalozas``...kkkkkkkk...

    ResponderExcluir
  10. A Weltbild além de ser editora ela possui uma grande rede de livrarias que vendem direto seus produtos, os quais são bons e baratos.

    ResponderExcluir
  11. Que babaquice!

    Então vamos criar uma flash mob para fazer com que a Igreja Católica se desfaça de seus hospitais e maternidades no mundo inteiro, no qual todos os anos nascem os criminosos e prostitutas do amanhã...
    Onde já se viu a Igreja Católica permitir que esse tipo de pessoa nasça em seus hospitais?

    ResponderExcluir
  12. O estranho é que os evangélicos estão com inveja e estão abrindo uma ''empresa de filmes eróticos''no Brasil,para melhorar a sexualidade de seus seguidores e alguns de seus fiéis(contribuintes)vêm aqui para criticar os católicos!!! O interessante nessa história toda,é arealidade por trás das instituições que se dizem religiosas,que na verdade tentam,desesperadamente tirar todo o dinheiro que restou,de nossos impostos governamentais e aumentar seu lucro. Esse ponto porno,foi só para desmascarar cada uma delas.

    ResponderExcluir
  13. A garota da foto é muito gata!

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. _Enorme palhaçada! _Uma laranja podre, contamina as demais! _É típico de pessoas vazias!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Em encontro com Bolsonaro, padre canta que 'Deus pode realizar o impossível'

Vereador critica repasse de verba às igrejas. E é acusado pela bancada evangélica de 'intolerante'