Revista dispensa pastor que defende união de homossexuais

Revista censurou Gondim por
provocar desconforto e tensão
O pastor Ricardo Gondim, 54, da Igreja Betesda, escreveu em seu blog que, depois de quase 20 anos como colaborador da Ultimato, ele foi "convidado" pelo conselho editorial a "descontinuar" a sua coluna na revista. Ultimato é filiada à Associação Evangélica Brasileira e à Associação de Editores Cristãos.

Gondim foi informado pelos responsáveis pela revista de que suas declarações estavam criando desconforto e tensão. A gota d’água, segundo relatou o pastor, foi a entrevista que deu à revista Carta Capital na qual defendeu a união civil de homossexuais e a observância de que o Estado é laico. Aparentemente, ele foi defenestrado menos  pelo que escrevia na revista e mais pelo que dizia em outros meios.

No blog, ao comentar o "convite", ele reafirmou: “Em um Estado laico, a lei não pode marginalizar, excluir ou distinguir como devassos, promíscuos ou pecadores, homens e mulheres que se declaram homoafetivos e buscam constituir relacionamentos estáveis. Minhas convicções teológicas ou pessoais não podem intervir no ordenamento das leis”.

Gondim tem se destacado como um crítico do movimento neopentecostal brasileiro. No começo do ano, publicou em seu blog o artigo “Deus me livre de um Brasil evangélico”, com a argumentação de que, se a maioria da população do país se tornasse evangélica, o puritanismo causaria uma devastação na cultura brasileira.

À Carta Capital, ele disse que o objetivo desses evangélicos é assumir cada vez mais poder político, tendo em vista, inclusive, as eleições presidenciais.

Gondim contou que outro motivo do seu desligamento da Ultimato foi sua afirmação de que “Deus não está no controle”.

A visão de Deus como
um pai todo-poderoso é
infantilizadora da vida 
Na entrevista, ele disse: “Se Deus é bom e onipotente, e coisas ruins acontecem, então há algo errado com esse pressuposto. Minha resposta é que Deus não está no controle. A favela, o córrego poluído, a tragédia, a guerra, não têm nada a ver com Deus. Concordo muito com Simone Weil, uma judia convertida ao catolicismo durante a Segunda Guerra Mundial, quando diz que o mundo só é possível pela ausência de Deus. Vivemos como se Deus não existisse, porque só assim nos tornamos cidadãos responsáveis, nos humanizamos, lutamos pela vida, pelo bem. A visão de Deus como um pai todo-poderoso, que vai me proteger, poupar, socorrer e abrir portas é infantilizadora da vida”.

Gondim: acusado
de ser 'humanista'
Antes de falar à revista, o pastor, por causa da mesma afirmação, já tinha enfurecido alguns dos evangélicos que o seguem no Twitter. Mas a sua entrevista gerou da parte de Klênia Fassoni, da Ultimato, a acusação de que é um “humanista”. Nas doutrinas do humanismo, o homem é senhor do seu destino – independe, portanto, de divindades. Gondim demonstrou ficar chateado com Klênia e escreveu que, sobre o seu “humanismo”, não se daria ao trabalho de reagir.

Ao jornalista Gerson Freitas Jr., da Carta Capital, Gondim (foto) disse que vem sofrendo muita pressão de seus pares por causa de suas afirmações. “Fui eleito o herege da vez”, afirmou. O que confirma agora a sua demissão da revista com o sugestivo nome de Ultimato.

Com informação do blog de Ricardo Gondim e da Carta Capital.





Pastor escreve: ‘Deus nos livre de um Brasil evangélico’
fevereiro de 2011

Ricardo Gondim.


Comentários

  1. Taí um pastor que está com um pé no ateísmo, mas não pode assumir porque senão perde a profissão e vai fazer o que na vida?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem uns pastores nos Estados Unidos que deixaram de acreditar em deus, mas se viram em apuros por causa dos laços que tinham na igreja e, suspeito, por causa do horror que passariam se revelassem tudo - imagina uma família religiosa e ativista... Pode até ser que ele esteja repensando suas crenças. Mas, o que me parece, é que ele está transpondo a religião mais estável, conhecida, fundamentalista, enfim, segura para algo mais liberal, meio que um quebra-cabeças para o interessado montar. Tem líder dessa linha que não acredita em salvação por Jesus, Divina Trindade. Isso é básico a TODAS as religiões cristãs fundamentalistas. Pessoalmente, acho uma violência a ideia de um homossexual ter sua orientação revertida. Também não acredito que um pastor tenha, necessariamente, moral para dizer o que faço de errado e o que devo fazer para me consertar. Esse rompimento dele não foi tão aliviante, libertador para ele. O pastor tem profunda identificação com o grupo - apesar de nas ideias... - e está passando por uma fossa daquelas. Ele diz que cortaram grande parte da história dele. Eu faço minhas escolhas, mas não tenho esse envolvimento direto dele. Tenho problemas até para conversar com crentes à primeira vista liberais. O pastor levou alguns anos nessa barra. Mas acho que ele tem um pé-de-meia. Além disso, têm gente que vai se juntar com ele. Essa importância que ele dá ao diálogo com ateus, eu também dou. Se não nos "convertermos", isso ajuda a polirmos nossa fé, tirar dela tudo o que não for razoável racionalmente, socialmente, afetivamente, culturalmente, profissionalmente, etc.

      Excluir
  2. O fato de ele dizer que Deus não está no controle já demostra que é ateu. Vejo nesses artigos que a opinião Divina é sempre marginalizada. Diz ele: "O objetivo desses evangélicos é assumir cada vez mais poder político, tendo em vista,inclusive as eleições presidenciais. Está Escrito:("Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão os que estão com ele, chamados, e eleitos, e fiéis"Apocalipse 17:14). Olha a contradição humana, muitos dos não crentes julgam a Jesus como um grande e sábio profeta. Contudo dizem que o seu governo será prejudicial. Todo tolo tem o seus 15 minutos de fama.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai depender do que você entende por Deus. Se for estritamente o da tradicional interpretação bíblica, realmente não existe o Deus que o pastor adora. No entanto, para dizer que ele é ateu, o pastor teria que, simplesmente NÃO acreditar em Deus, na sua EXISTÊNCIA. Não é o caso. Você pode chamá-lo de herege, apóstata, endemoninhado, filho do diabo, perdido, fraco na fé, etc. Mas falar que ele é ateu, só se for por modo de dizer. Ateu, no limite, dá risada da gente por conta de um monte de coisas em que acreditamos - o pastor também -, mas de que não há prova científica de que exista. Você vai dizer que o pastor se afina com esse grupo? (Nâo vai intenção nenhuma de generalizar os ateus. Tenho amigo ateu com que converso muito).

      Excluir
  3. E acha que vai ter os seus 15 min. Fernando?
    Porque tolo já é...

    ResponderExcluir
  4. blá blá blá!

    A Bíblia, tão rica em alegorias e simbolismos, presta-se a qualquer tipo de interpretação. Das mais sinceras e pacifistas às mais odientas e sectárias.

    O pastor Ricardo não está sozinho em suas convicções.

    Confiram em:

    http://www.campograndenews.com.br/artigos/meu-encontro-com-um-homofobico

    ou em:

    http://www.belavistams.com.br/noticia.php?COD_EDITORIA=26&COD_NOTICIA=11859

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixo minhas reverências a sua opinião muito bem construida!
      Congratilações!

      Excluir
    2. Tiro boa parte da minha fé da leitura da Bíblia. Mas qualquer pessoa menos crédula e com razoável maturidade intelectual, vai verificar que não dá para por a vida no fogo por uma apropriação literal da Bíbla. As contradições são evidentes. Do amor à violência contra vários povos. Sem contar passagens sobre apedrejamento de filhos desobedientes e mulheres adúlteras. E tem o esquartejamento das partes do corpo fazem uma pessoa pecar - braço, olho, etc. Certos religiosos vão falar que é modo de dizer. Mas em outras passagens ele vão pegar literalmente, sem esssa de simbolismo.

      Excluir
  5. A vida de cada um dará testemuho de si mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Diz Ele: O puritanismo causaria uma devastação na cultura brasileira. Se foi cristão um dia, agora se tornou cego. Dependemos nós de tradições e culturas(Teatro, cinema, carnaval, Folclore, candonmblé, umbanda etc...) para vivermos? Há defensores de várias causas, defensores das baleias, das florestas, dos animais em extinção etc... estas são algumas boas causas. Mais há os que defendem causas que matam, como os narcotraficantes e vendedores de armas que são usadas para na sua maioria para destruição. A vida, esta é a causa do evangelho. Agora vém este dizer que o puritanismo é prejudicial? Faça-me um favor.

    ResponderExcluir
  7. É prejudicial sim senhor à medida que vai tolhendo liberdades!!Quem pauta sua vida em puritanismo geralmente é quem deseja impor isso aos demais!!Esse pastor é sóbrio e está certíssimo!!

    ResponderExcluir
  8. É importante que fique claro que Ricardo Gondim não representa em nada a opinião dos evangélicos deste país (evangélicos podem ter opinião, não podem?).
    O uso da liberdade deve ser irrestrito até que isso não seja motivo para inibir a liberdade do outro. Principalmente de dizer o que pensa. Os homossexuais têm direito de se unirem civilmente, os evangélicos têm direito de dizer que são contrários a essa prática e a revista Ultimato tem direito de demitir alguém que não reflete seu ponto de vista.

    Pr. Silas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O malafaiete se contradisse em seu comentário.

      Se o uso da liberdade deve ser irrestrito, então porque os evanjegues querem a todo custo impedir que homossexuais se unam civilmente?

      Então, os evanjegues podem ter sua liberdade de opressão garantida, porém homossexuais não podem ter liberdade de unir-se se assim desejarem?

      Excluir
  9. Pr. Silas,

    Sua religião é sustentável?

    ResponderExcluir
  10. Segundo a bíblia a salvação é individual. Então impor uma ideia é diferente de expô-la, e nisso muitos cristãos se confundem.

    ResponderExcluir
  11. DEPENDEMOS NÓS DE CULTURA PARA VIVERMOS? O SINCRETISMO PENTECOSTAL ASSIMILA NA PRÁTICA A MESMA CULTURA AFRICANA QUE NA TEORIA REJEITA.

    É só a gente navegar, como se diz, pelo youtube, e contemplar cenas impagáveis, da zoeira pentecostal, suas inculturações musicais, étnicas, até espiritistas, quer indígenas, como a deambulação rotatória, até hipnóticas e de transe e incorporação, como as semipossessões e manifestações animistas e totemistas, do candomblecismo e folia de negros, como jongo, semba e até funk! Os pastores-atores, geralmente aliando pendores teatrais a musicais, sabem usar bem o hipnotismo de massa, a sugestão ao delírio coletivo, e o fazem como hábeis prestidigitadores e ilusionistas, capazes de causar inveja aos fotógrafos de mesas girantes e ectoplasma do espiritismo do século XIX! Enviou-me minha amiga concue84@hotmail.com, historiadora, um divertidíssimo. A pastora, uma típica mãe-de-santo baiana caso pertencesse à religião afro, incorpora literalmente o giro, a rodada, o bate-pé, o refrão incitador da possessão coletiva ritual, melhor que qualquer cambone ou ogã de terreiro...Quem tivesse vivido nos tempos da colonização, julgaria estarmos numa senzala, numa autêntica manifestação inculturada e sincrética da religião africana, tal a nítida predominância da cultura negra, do elemento étnico negro, embora sob o jargão eurocêntrico civilizador da interpretação da mitologia judaica. Na verdade o discurso da pastora é uma retroafirmação da guerra entre os deuses e as culturas...Identifica o mal como a sua própria origem negra - sem que o saiba, evidentemente - e a quer sujeitar, para declarar-se e a todos ali, perdoados pelo crime de descenderem de escravos batizados com água pela Igreja Católica no passado, e agora com o fogo do contágio cinestésico, simbólico, do transe incorporativo, fundamento da religião dos orixás. Quando afirma: O TEU DEUS NÃO PODE FICAR, DEBAIXO DESSE TRANCARUA...O TEU DEUS NÃO PODE PERDER, PRA ESSA POMBA-GIRA...Reproduz o discurso da religião dominante, embora seu corpo, seus gestos, sua fala e seu transe dançarino, afirmem o contrário. Os exus, os orixás, os espíritos reincorporados pela assimilação e inculturação, venceram.

    ResponderExcluir
  12. Anônimo 12:07. Aqueles que zelam pela pureza COMO ENSINA O EVANGELHO, NÃO FAZ MAU AO PRÓXIMO. Porventura não dizem os especialista, "NÃO EU" mais os especialistas que devemos impor limites aos nossos filhos? LIBERDADE SEM LIMITES É PECADO. Temos visto os frutos dessa "liberdade" em nossos dias, não precisando eu descreve-las. ("Foge, também das paixões da mocidade, e segue a justiça, a fé, o amor, a paz com os que, de coração puro, invocam ao Senhor" 2 Timóteo 2:22), ("O que ama a pureza de coração, e que tem graça nos seus lábios, terá por seu amigo o rei." Provérbios 22:11).

    ResponderExcluir
  13. Fica aí com seus grilos e pecados.Já eu fico com a minha liberdade inclusive de consciência.
    Estamos conversados.

    ResponderExcluir
  14. E ainda dizem que não são homofóbicos.

    ResponderExcluir
  15. força! a verdade nos liberta.

    ResponderExcluir
  16. Quando um pastor resolver ser razoável, humanista, inteligente, etc, é expulso pois não atende aos requisitos.

    eu, sinceramente, sinto orgulho do gondim ser chamado de ateu (embora ele não seja, absolutamente). se todo gondim da vida for chamado de ateu, eu saberei que estou do lado certo.

    que os crentes fiquem com os macedos e malafaias da vida e deixem os gondins para nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho alguma inclinação para as ideias do Gondim. Mas não estou no olho do furacão desse jeito. Ele está passando até por problemas emocionais. Como é que ele sustentou essa postura dentro de grupos mais conservadores? Ele tinha a esperança de atrair pessoas ou realmente quis valer o seu chamado? Não é nem questão de acreditar. É que ainda não assimilei o impacto da postura dele. Fica com deus, pastor. Teoricamente, nos propomos influenciar o mundo. Se for influenciar para que pessoas se convertam, adotem comportamento exageradamente limitante, ofendam os outros, os ameacem com um castigo eterno e com corpo adaptado para isso, fica difícil o evangelho ser uma força criativa e humanitária. E a adesão a essa cultura pode ser dar no momento de maior fraqueza e sentimento de indignidade da pessoa. E por aí vai...

      Excluir
  17. Godim admiro sua coragem e intrepidez.Esse movimento sujo neopentecostal tem de ser questiondo!!

    ResponderExcluir
  18. O movimento neopentecostal tem interesses escusos SIM!!.É inútil e infrutífero dizer que não é...

    ResponderExcluir
  19. quem e de Deus defende as coisas de Deus.pelo visto gondin nao tem nada de Deus.esse e um pobre miseravel cego e nu Ap 3.14-17

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  21. O blog deleta comentário escrito só com letras maiúsculas.

    ResponderExcluir
  22. Sabe o que isso é ao meu ver? Uma desculpa esfarrapada para encontrar novos bodes expiatórios contra a falsa fé que os neopetencostais pregam. A falta de ética é um sintoma típico para a falta de humanidade desse tipo de fundamentalista.

    ResponderExcluir
  23. Gondim n tem nada de ateu! cada uma..pqp... é um dos poucos sinceros que existe no cenário cristão brasileiro... triste como a religião torno as pessoas idiotas...

    ResponderExcluir
  24. O que estes pastores evangélicos querem é o poder terreno, é a máquina de governo para o seu enriquecimento material!

    Cristo falou que o reino dele não é deste mundo! exortando seus seguidores a abandonarem ambições terrenas e materiais!

    ResponderExcluir
  25. É meus caros, nao faca conforme "deus" quer e sera punido...

    É assim, sempre foi assim e pelo visto, sempre sera... mesmo com pessoas de boa indole, q demonstram ter uma cabeca aberta e coerente, demonstra razao no lugar de fé... sao punidos e pagam por sua comunidadezinha escrota e vil...

    Isso so vem a demonstrar q toda a questao religiosa é viciada e putrefa, bem como seus seguidores...

    E bem dito foi oq ele citou... no minimo esta coisa toda foi abandonada por deus

    Mas sabe o q é mais interessante... ele ser humanista é ruim... pera la... sera q nao estao, os crentelhos em geral, demonstrando total falta de sabedoria com esta afirmacao? Ser humanista é se preocupar com o aqui e o agora, com o nosso proximo, conosco mesmo e fazermos o melhor, nao esperando a porra da recompensa divina?

    Na boa... qto mais sei da religiao, mais sei q estou no caminho certo recusando-a

    ResponderExcluir
  26. Eu não concordo quando o Pastor Gondim,defende a união do homosexualismo,ele esta de contra o mandamentos de Deus que Deus unir já mais o separe esqueceram
    que tem na Bíblia Sagrada em Gênesis 1,26,28;
    "Deus criou o homem e a mulher.Deus os abençoou;Frutifica,disse ele,e multiplicai-vos,enchei a terra.

    Bíblia sagrada,G~enesis,1,26,28;

    ResponderExcluir
  27. Taí, gostei desse pastor. É claro que a maioria das ovelhinhas vai ficar triste com o pensamento racional dele. Mas é só rezar que passa, viu... Béhé béhé.

    E os coitados alí em cima citando apocalipse e o caralho... Vou pegar meu gibí da Mônica daí vocês vão ver!

    ResponderExcluir
  28. Taí, gostei desse pastor.

    É uma pena que as ovelhinhas vão ficar bravas com ele. Mas é só rezar que passa... Béhé, béhé...

    E o irmão idiota citando apocalipse? Vou pegar meu gibí do Super-Homem daí vocês vão ver o que é o poder da palavra. Huahauhuaaha. Sucesso ao pastor e desejo que arrume uma profissão mais digna bem rápido.

    ResponderExcluir
  29. Ovelhinhas bravas em 3.2.1.

    Pastor realista esse, pena que os 'Fiéis' adoram se confortar com mentiras e detestam entrar no mundo onde a realidade é dura. -Religião é e sempre foi o mal da sociedade (quem tem conhecimento em história sabe disso)-

    ResponderExcluir

Postar um comentário


EDITOR DESTE SITE

Paulo Roberto Lopes é jornalista

profissional diplomado. Trabalhou

no jornal centenário abolicionista

Diario Popular, Folha de S.Paulo,

revistas da Editora Abril e

em outras publicações.

Contato