Nova Constituição do Nepal proíbe proselitismo religioso


Prisão para os pregadores

A nova Constituição do Nepal [mapa], que entra em vigor em agosto de 2018, proíbe o proselitismo religioso.

Com 30 milhões de habitantes (80% de hindus), o país é um Estado laico, que foi reafirmado na nova Constituição.

Apesar disso, a minoria (em torno de 2%) cristã afirma que a nova Carta Magna acaba com a liberdade religiosa porque impede que haja conversão.


Cristãos argumentam que, agora, haverá a institucionalização da perseguição religiosa.

Mas eles, aparentemente, não se dão conta de que a nova Constituição vale para a religião majoritária: os hindus não poderão fazer proselitismo para obter conversões.

Pelo novo texto, que for pego “em flagrante” fazendo proselitismo para “minar a religião, a fé ou credo de outra casta, grupo étnico ou comunidade” poderá ser condenado a cinco anos de prisão.

Com informação de agências e Rádio Vaticano.




Escola não é lugar de pregação religiosa, afirma professor

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.