Moçambique prende pastor da Universal por tráfico de albinos



A polícia de Moçambique prendeu um pastor, uma obreira e dois fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus sob a acusação de tentativa de tráfico de pessoas.

O jornal moçambicano “Notícias” informou que as vítimas dos evangélicos eram duas mulheres e um anão, todos portadores de albinismo.

A captura dos albinos tinha sido atribuída pelo pastor aos dois fiéis, de acordo com o jornal.

A prisão ocorreu em Maxixe, cidade de 100 mil habitantes da província de Inhambane

Na África, corpos de albinos
são usados em feitiçarias

A polícia não divulgou os nomes dos suspeitos nem das vítimas.

Em alguns países africanos, como a Tanzânia, há tráfico de albinos e anãos por causa da crença de que eles podem ser utilizados em cerimônias de feitiçaria.

Muitos deles são mortos para que partes de seu corpo sejam usadas em poções mágicas.

A notícia da prisão do pastor da Universal se espalhou por sites de Moçambique.

No site da Folha de Maputo, por exemplo, um leitor comentou: “Fora com esses brasileiros traficantes de pessoas”.

Uma leitora respondeu: “O noticiário não menciona que o tal pastor é brasileiro. Atenção, não sejamos xenófobos. Ele até pode ser um moçambicano! O importante é que o criminoso já está detido.”

Com informação de Notícias, Jornal de Maputo e de outras fontes e foto de albinos de Malawi,

Envio de correção.


Caçados por feiticeiros, albinos estão em extinção no Malawi

Semelhantes

Postagens mais visitadas deste blog