'A História Secreta da Igreja' revela lado infame da fé cristã

da Livraria da Folha
resenha

Liderada pelo papa e administrada por mais de 400 mil padres, a Igreja Católica esconde episódios e escândalos sombrios que mancharam sua reputação.

Livro faz relato de
guerras, Inquisição,
e escândalos
Entre 1480 e 1800, por exemplo, centenas de milhares de pessoas foram torturadas e julgadas hereges, com confissões extraídas por meio de métodos extremamente cruéis. Os culpados eram estrangulados ou queimados vivos até a morte.

Ilustrado com 180 fotografias, pinturas e ilustrações, o livro "A História Secreta da Igreja", escrito por Michael Kerrigan, revela o lado infame da fé cristã.

O livro faz parte da coleção "A História Secreta", publicada pela editora Europa.

A série reúne relatos de imperadores, papas e reis que, detendo grande poder, tomaram decisões dignas dos grandes psicopatas. A série é composta por quatro títulos, todos com capa dura e em edição de luxo.

"A História Secreta dos Papas" apresenta casos de assassinatos, torturas e orgias protagonizados pelos pontífices. Uma delas é o Sínodo do Cadáver, em que o bondoso — e falecido — papa Formoso foi desenterrado, julgado por seu sucessor Estevão 7º e jogado no rio Tibre. 

Há também a trajetória de João 12, que castrou um de seus cardeais, cegou outro e chegou a brindar ao demônio em um de seus bacanais.

O livro também revela como funcionou a sanguinária Inquisição e conta a história de algumas das suas mais célebres vítimas, como Galileu Galilei, que só escapou da morte porque foi obrigado a negar publicamente seus ideais.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.


Livro conta vida sexual de papas