Paulopes

Religião, ateísmo, ciência, etc.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Em SP, candidato sem apoio dos evangélicos defende Estado laico

Fernando Haddad
Haddad está sendo boicotado pelos
religiosos por causa do kit gay
O candidato petista Fernando Haddad (foto) à prefeitura de São Paulo negou que esteja tentando se aproximar das lideranças evangélicas e voltou, nesta segunda-feira (10), a defender o Estado laico.

Afirmou que não “abre mão” da laicidade nem do combate à intolerância religiosa, que são “princípios que vai defender até o final da campanha”.

O candidato petista está sendo boicotado pelos pastores porque ele, como ministro da Educação, foi o autor da ideia do chamado kit gay — um manual que seria distribuído às escolas para combater a homofobia.
Para contornar a rejeição a Haddad, o governo federal deu um ministério, o da Pesca, a um evangélico, o senador Marcelo Crivella, que é também pastor licenciado da Igreja Universal. Contudo, a barganha não se concretizou na prática.

Marcos Ribeiro, coordenador do setor inter-religioso do PT, afirmou no final de semana que Haddad ia se aproximar dos religiosos nesta reta final da campanha. Hoje o candidato negou.

Antes, Haddad já tinha defendido o Estado laico ao criticar o envolvimento do seu concorrente Celso Russomanno com as religiões. Ele disse que “o Estado tem de respeitar as igrejas e defender a liberdade religiosa", mas mistura da política com religião "é equivocada".

Na mais recente pesquisa do DataFolha — que foi divulgada no dia 5 de setembro —, Haddad tinha 16% das intenções dos votos, tecnicamente empatado com o tucano José Serra (21%), tendo em conta que a margem de erro é de 3 pontos percentuais. Russomanno estava em confortável liderança com 35%.

Com informação das agências.

Petista afirma que religião deve ficar fora da campanha eleitoral.
maio de 2012


Religião na política.   Religião no Estado laico.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...