Ex-TJ cria associação de apoio a vítimas de preconceito religioso

Sebastião Ramos
Ramos disse que preconceito é
 incompatível com a democracia
Sebastião Ramos (foto), servidor da Universidade Federal do Ceará, criou a ABRAVIPRE (Associação Brasileira de Apoio a Vítimas de Preconceito Religioso) com o propósito de dar amparo jurídico e psicológico a pessoas que sofrem esse tipo de discriminação, além de defender a laicidade do Estado.

Ele disse que a associação nasceu de sua luta iniciada em 2009 no Ceará contra a discriminação praticada pelas Testemunhas de Jeová.

Ramos foi expulso sumariamente das TJs por abordar questões da religião em artigos para jornais e passou a ser evitado por fiéis da igreja — entre eles, colega de trabalho, amigos e familiares —, em um procedimento que é padrão em relação a quem abandona ou é expulso da denominação. Com a ajuda do Ministério Público, ele levou o caso à Justiça, onde se encontra em tramitação.

Além de Ramos, que é o presidente, há outros ex-TJs na ABRAVIPRE. Apesar disso, segundo ele, o objetivo da associação é dar assistência a vítimas de preconceito por parte de todas as religiões, não só, portanto, em relação às das TJs.

Ramos acaba de obter a certificação jurídica da associação, que é, segundo ele, a primeira no gênero do país. Atualmente, ele não frequenta nenhuma igreja. "Religião é um barco furado", disse.

Por intermédio da página da ABRAVIPRE no Facebook, ele espera obter apoio e o envolvimento de pessoas dispostas a combater o preconceito religioso, que é, disse, uma prática incompatível com uma “sociedade democrática, civilizada, onde todos são ou deveriam ser iguais”.

Testemunha de Jeová terá de pagar indenização à ex-fiel discriminada.
abril de 2011

Fanatismo das TJs.   Intolerância religiosa no Brasil.

Comentários

  1. Acho uma boa. Combater os preconceitos é sempre bom.

    ResponderExcluir
  2. Gostei de mais dessa notícia. Gostaria muito que houvesse uma entidade dessas na cidade onde moro.

    Parabéns para os que lutam contra o preconceito.

    Que outros sigam o exemplo de Sebastião Ramos.

    ResponderExcluir
  3. "Religião é um barco furado."

    É isto ai.

    ResponderExcluir
  4. coitadinhos atacam a democracia27 de junho de 2012 16:22

    O que é incompatível com a democracia é gente que não tolera discordância, que acha que tudo que lhe desagrada é "preconceito" e deve ser censurado ou punido.

    Em suma, incompatível com a democracia é gente que se faz de coitado e de vítima para perseguir os outros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tipo você, o crente mais chorão desse blog.

      Excluir
    2. coitadinhos atacam a democracia27 de junho de 2012 16:22,

      Coloque-se no luga deste homem. Imagine se toda a sua família e seus amigos virassem as costas para você porque não faz mais parte da religião deles. Isso é preconceito, sim.

      Aliás, essa religião (TJ), pelo jeito não deve prestigiar a democracia, pela forma totalitária com que trata os seus próprios associados.

      Excluir
  5. A teologia da igreja é juridicamente indiscutível. Mas ela faz incitação à discriminação sim.

    A desassociação surgiu entre as Testemunhas de Jeová na década de 80, depois que elas falharam em prever o fim do mundo para 1975 e as pessoas começaram a abandonar a igreja. É um modo discriminatório de evitar a emigração de fiéis: persuade-se amigos e familiares a evitarem a pessoa, a se absterem de dar-lhe sequer um "oi", para que se sinta humilhada e volte.

    Isto é incitar e alimentar preconceito e discriminação, e é crime. A igreja pode dizer que ex-fiéis são isso e aquilo para deus, que estão nessa ou naquela situação espiritual, mas não pode incentivar ninguém a discriminá-los.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Que nada, isso fere a democracia, afinal EU tenho direito de discriminar, quem reclamar é vitimista e é contra a democracia. Blablabla ditadura gay-ateísta, mimimi nhemnhemnhem."

      Pronto anônimo, vc não precisa mais responder esse comentário.

      Excluir
  6. Sou ex-testemunha de Jeová e entendo agora que organização religiosa criada pelos homens não tem aprovação de Deus.Pois existem mais de 40 mil denominações em nossos dias, todas de Bíblia na mão, e vivem separados e se digladiando.
    A Igreja de Deus é onde estiver dois ou três reunidos no nome de Jesus, sem precisar de uma placa inventada pelo homem para ser identificada. Jesus disse que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e verdade.
    Chega de preconceito e vamos viver as orientações simples que Jesus ensinou e foi registrado pelos apóstolos. O que identifica o verdadeiro adorador de Deus é o amor. E Jesus disse que temos de amar até os nossos inimigos. Quando esse mandamento de Jesus estiver sendo obedecido por todos, não será mais preciso placa em prédios para separar os cristãos. - Mateus 5:43-48; João 13:34,35
    luiz.tyah@gmail.com

    ResponderExcluir
  7. Mateus mimimi Lucas mimimi Marcos mimimi João mimimi ¬¬

    Se é pra colar trechos da 'bíbra' cola aí do das hemorroidas de ouro que é muito mais divertido...

    ResponderExcluir
  8. Parabéns para os envolvidos na materialização da ABRAVIPRE. Que esta associação possa alcançar todas as metas pretendidas, incluindo a pavimentação para um futuro onde as desigualdades religiosas não justifiquem ações de discriminação. Já não é de hoje que presenciamos infrações seríssimas infladas por irresponsáveis dirigentes religiosos contra àquilo que é diferente. O Brasil, embora declaradamente Estado laico, ainda permite estes absurdos. Por que as religiões ainda continuam sendo instituições que sofrem pouca sanções por crimes cometidos? Seria talvez o fato delas terem se tornado Potentados finaceiros inexpugnáveis?

    ResponderExcluir

Postar um comentário