Juíza terá de julgar as perdas materiais do caso Xuxa-Iurd


Semanário publicou que Xuxa
tinha vendido a alma para o diabo
Com atualização em 6/3/2012

A desembargadora Conceição Mousnier, da 20ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio, anulou a sentença de primeira instância que condenava a editora da Igreja Universal a pagar à apresentadora Xuxa Meneghel, a título de danos morais, indenização de R$ 150 mil por associá-la ao diabo.

Não se trata de uma vitória da Universal, porque Conceição entendeu que a juíza Flávia de Almeida Viveiros de Casto, da 6ª Vara Cível da Barra da Tijuca, do Rio, devia também ter considerado as perdas materiais reivindicadas por Xuxa.

Dessa forma, o processo retorna à primeira instância para nova sentença. Assim, a Universal poderá ser condenada também a arcar com os danos materiais pelo fato de a Folha Universal, de responsabilidade da editora da igreja, ter usado sem autorização uma foto da apresentadora. Xuxa está pedido indenização de R$ 3 milhões.

Em agosto de 24 de agosto de 2008, a Folha Universal deu crédito a um vídeo postado no Youtube onde Josué Yrion, um pastor brasileiro radicado nos Estados Unidos, afirma que Xuxa tinha vendido a sua alma para o diabo em troca de sucesso.

Semanário ilustrou o texto
com esta foto do 'diabo
'
O semanário da Universal abriu uma foto da Xuxa em sua capa sob o título “Pacto com o mal?”. Na página interna, publicou a foto de um homem de costas sob o título “Contrato com o diabo”.

Na sentença condenatória por danos morais a juíza Castro concluiu que o texto do semanário não tinha nenhuma informação, mas apenas especulações.

Iniciado em 2008, o processo judicial da Xuxa contra a Igreja Universal tem um longo caminho, porque, quando sair a nova sentença, caberá recursos de ambas as partes.

Jornal tirou a 'informação' deste vídeo

video

Com informação deste blog e da sentença do TJ.

Iurd diz não haver 'maledicência' na associação de Xuxa ao satanismo.
janeiro de 2011

Xuxa versus Igreja Universal.   Diabo.