Médicos operam lado errado do cérebro, e Verônica morre

Mônica, vítima de erro médico

Foi uma operação de emergência. A tomografia mostrou que a dona-de-casa Verônica Cristina do Rêgo Barros (foto), 31, tinha um coágulo no lado esquerdo do cérebro – no dia 2, uma segunda, ela caiu no banheiro de sua casa e bateu a cabeça na privada.

No mesmo dia, os médicos do hospital Getúlio Vargas, subúrbio do Rio, abriram a cabeça a moça, só que do lado direito. O coágulo – que tinha de ser retirado sem demora -- ficou onde estava.

Um anônimo telefonou para familiares da paciente dizendo que tinha sido cometido um erro médico.

Alba Valéria Barros, irmã da Mônica, deu queixa na polícia e exigiu uma explicação do hospital.

Três dias depois, Mônica, que ainda estava na UTI recuperando-se da intervenção, foi submetida a nova cirurgia, desta vez no lado esquerdo do cérebro. Mas ela não resistiu ao pós-operatório e morreu neste sábado (7).

Os médicos foram afastados e o hospital abriu sindicância para verificar se houve mesmo um erro. As informações são das emissoras de tv.

Mônica tinha um menino de 12 anos e uma menina de 10.

ATUALIZAÇÃO em 8/3/2009

O corpo de Verônica foi enterrado nesta manhã de domingo, no cemitério de Irajá, Rio. Revoltados, parentes dela pediram por justiça.

> Erros médicos?