Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Fernando Haddad

Edir Macedo pede ao STF retomada de ação contra Haddad que o chamou de 'charlatão'

O bispo Edir Macedo

Preconceito contra ateus passou despercebido na campanha eleitoral

[opinião] Ao se referir indiretamente a Fernando Haddad (PT), que disputou as eleições presidenciais, o deputado Hidekazu Takayama (PSC-PR), líder da Frente Evangélica, expôs um preconceito. Ele disse que, “para ateu, mentir não é falta de caráter”.

Sede da Igreja Universal deve R$ 100 milhões em multas ambientais

Templo de Salomão foi construído em terreno contaminado A sede da Igreja Universal deve à Prefeitura de São Paulo R$ 100 milhões em duas multas ambientais.

Prefeito de São Paulo veta lei do 'Dia do Combate à Cristofobia

Vereador acha que o cristianismo  tem de reagir à perseguição das minorias O prefeito Fernando Haddad (PT), de São Paulo, vetou o projeto de lei do vereador Eduardo Tuma (PSDB) que criaria em 25 de dezembro de cada ano o Dia do Combate à Cristofobia.

Malafaia é perdedor das eleições de SP, mas faz pose de vencedor

Malafaia minimizou a vitória do 'candidato do  kit gay' O pastor Silas Malafaia (foto), da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, está entre os grandes perdedores do segundo turno das eleições de São Paulo. Ele apoiou o tucano José Serra e fez forte campanha contra o petista Fernando Haddad, o qual carimbou de “candidato do kit gay”. O pastor gravou vídeos, usou o Twitter, deu entrevistas, pautou a campanha eleitoral, colocando a homossexualidade com um dos temas centrais, embora isso nada tenha a ver com quem ocupa o cargo de prefeito. Fez de tudo, mas Haddad ganhou. Apesar disso, Malafaia tem feito pose de vencedor. Em entrevista ao jornal Valor, ele minimizou a vitória de Haddad, nivelando São Paulo às demais cidades, como se ela não fosse a mais importante do país. “O número de prefeitos eleitos com os votos evangélicos ‘arrebentou a boca do balão’”, disse. Na contagem dele, foram eleitos “milhares de vereadores evangélicos e dezenas e dezenas de prefeitos”. M

Kit gay e Malafaia polarizam eleições de São Paulo

Malafaia está pautando os temas da campanha eleitoral A sexualidade, que é algo que pertence ao fórum íntimo da condição humana, e os pronunciamentos do pastor Silas Malafaia, do Rio, estão polarizando a campanha eleitoral pela disputa da Prefeitura de São Paulo, neste segundo turno. Até parece que a maior cidade do Brasil não tem nenhum problema urgente para ser resolvido. A Folha Online alimentou esse nonsense , já criticado pela Folha impressa, ao noticiar ontem (15) que Serra, quando foi governador, produziu um material similar ao “kit anti-homofobia” do Ministério da Educação. Serra negou a similaridade entre os dois kits. Mas foi Malafaia quem denunciou com ênfase em um vídeo (ver abaixo) o que seria uma manobra da campanha petista para neutralizar o fato de que o mentor do kit gay é o adversário do tucano, o ex-ministro da Educação Fernando Haddad. O pastor fez uma ressaltava à cartilha do governo Serra na parte em que diz que ser gay ou lésbica não é uma escolha.

Malafaia diz que vai ‘arrebentar’ candidatura do petista

Malafaia afirmou que não vai dar moleza para o candidato do PT O pastor Silas Malafaia (foto), da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, do Rio, afirmou que vai se envolver na campanha do segundo turno das eleições municipais de São Paulo com o propósito de “arrebentar” a candidatura do petista Fernando Haddad por ter sido o mentor do chamado “kit gay” quando foi titular do Ministério da Educação. "Haddad já está marcado pelos evangélicos como o candidato do 'kit gay'”, disse. “Não vamos dar moleza para ele." Ao final do primeiro turno, quando Haddad começou a subir nas pesquisas de intenção de votos, o pastor gravou um vídeo manifestando apoio ao tucano José Serra. Nos próximos dias, Malafaia divulgará outro vídeo com ataques direitos ao petista. No Twitter, ele pede voto para “Serra 45” contra “Haddad, autor do kit gay”. O pastor teve encontro ontem em São Paulo com Serra, que agradeceu o apoio. Também participou do encontro o pastor Jabes de Alencar

Em vídeo, Malafaia pede voto para Serra e critica Universal e Lula

Malafaia disse que Lula está fazendo papel de "cabo eleitoral ridículo" A seis dias das eleições, o pastor Silas Malafaia (foto), da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, gravou um vídeo de 8 minutos [ver abaixo] pedindo votos para o candidato à prefeitura de São Paulo José Serra (PSDB) e criticou a Igreja Universal e o ex-presidente José Inácio Lula da Silva. Malafaia começou criticando o preconceito que, segundo ele, existe contra pastor que emite opinião sobre política, o mesmo não ocorrendo com outros cidadãos, como operários, sindicalistas, médicos e filósofos. O que não pode, afirmou, é a Igreja, como instituição, se posicionar politicamente. “A Igreja é de Jesus.” Ele falou que tinha de se manifestar agora porque quem for para o segundo turno, se José Serra ou se Fernando Haddad, é quase certeza que será eleito, porque Celso Russomanno está caindo nas pesquisas por causa do apoio que tem recebido da Igreja Universal. Afirmou que apoia Serra na expectativa de

Malafaia manifesta apoio ao candidato tucano José Serra

Recado do pastor aos seus 396 mil seguidores no Twitter O pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, decidiu abandonar nesta vésperas do   primeiro turno a sua neutralidade em relação às eleições a prefeito de São Paulo e anunciou hoje (1) apoio ao tucano José Serra.  No Twitter, ele pediu: “Povo de São Paulo! Gostaria de me omitir nesta eleição, mas não podemos deixar q Haddad, autor do kit gay, vá p/ o 2º turno. Vote em Serra!” Malafaia tem 396 mil seguidores do microblog. Em relação a São Paulo, o pastor tinha prometido só se pronunciar no segundo turno, caso Fernando Haddad estivesse no páreo. Para o pastor, o petista é persona non grata por ter sido o mentor do (malagorado) kit gay. Como neste momento há empate técnico entre Serra e Haddad, o pastor antecipou seu pedido de voto. Malafaia não apoia Celso Russomanno, o líder nas pesquisas de intenção dos votos, por ser o candidato da Igreja Universal. Com informação do Twitter de Malafaia .

Candidato da Universal a prefeito de São Paulo empata com Serra

Russomanno evita dizer que tem  apoio da igreja de Edir  Celso Russomanno (foto), candidato do partido da Igreja Universal, o PRB, a prefeito de São Paulo manteve-se em ascensão na intenção de votos e já encostou em José Serra, do PSDB. Pesquisa feita nos dias 19 e 20 de julho pelo Datafolha mostra que Russomanno detinha 26% da preferência dos eleitores, e Serra, 30%. Como a margem de erro é de três pontos percentuais, há um empate técnico entre os dois na liderança da pesquisa. O candidato petista Fernando Haddad ainda não decolou, apesar do apoio na TV do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff. Ele tinha apenas 7%, o mesmo percentual de Soninha Francine (PPS). Em seguida estavam Gabriel Chalita (6%), candidato do PMDB ligado a setores da Igreja Católica, e Paulinho da Força (PDT). O Datafolha consultou 1.075 eleitores. Russomanno tem procurado dissociar a sua candidatura da Universal com o propósito de obter os votos dos católicos e, de maneira geral, dos e

65% dos evangélicos admitem votar no candidato indicado pela igreja

Pesquisa feita pelo Datafolha com participantes da Marcha para Jesus realizada no sábado (14) em São Paulo apurou que 65% dos evangélicos vão votar nas eleições municipais deste ano sob a influência de suas denominações. Do total de consultados, 31% afirmaram que “com certeza” darão o voto a quem o pastor indicar. A marcha teve a participação de 335 mil pessoas, sendo 60% delas da cidade de São Paulo, 36% do interior paulista e 4% de outros Estados. Na maioria (34%), eram fiéis da Igreja Renascer, a organizadora do evento. A segunda maior participação foi dos seguidores da Assembleia de Deus, com 16%. Fiéis da Universal representaram apenas 1%. Do total, 76% comparecem aos cultos mais de uma vez por semana. Em São Paulo, é grande o esforço dos candidatos a prefeito José Serra (PSDB) e Fernando Haddad (PT) pelos votos dos evangélicos. O tucano conta com o apoio de líderes da Assembleia de Deus. Correndo por fora está Celso Russomanno, que concorre pelo PRB, partido ligado à I