Pular para o conteúdo principal

Polícia da Áustria suspeita ter havido mais um ataque à bomba às Testemunhas de Jeová

Polícia suspeita que o autor seja o mesmo de outros dois ataques à religião


Uma bomba caseira explodiu um carro na sexta-feira (3) em um carro de Testemunha de Jeová na cidade de Premstätten, Estado da Estíria, no Sul da Áustria. Ninguém ficou ferido.

A polícia suspeita que se trate de mais um atentado contra a religião, desde o ano passado.

Em agosto de 2023, houve a explosão em Leibnitz de dois veículos de fiéis. Em março de 2024, um dispositivo foi detonado perto da entrada de um Salão do Reino de Kalsdorg. A agência de segurança da Áustria até agora não prendeu o criminoso ou mais de um. Entre os suspeitos, estão ex-TJs.

Na Alemanha também houve atentado. Em março de 2023, o ex-TJ Philipp F. disparou 135 balas contra fiéis do Salão do Reino de Hamburgo, matando 7 pessoas e ferindo dezenas. Ele se matou antes de ser preso.

Philipp tinha ressentimento da religião.

Em março de 2024, o Corpo Governante das TJs anunciou medidas para atenuar sua doutrina de ostracismo a ex-fiéis, desfrutando por décadas família, afetando, por exemplo, o relacionamento até entre pais e filhos.

> Com informação do Inside e de outras fontes.

Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

Mescla da política e religião intimida ateus no Brasil. E defendê-los e defender a razão

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Como as memórias são armazenadas em nosso cérebro?

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Fé de pais TJs não supera direito à vida de um bebê, decide juíza

Marcha para Jesus no Rio contou com verba de R$ 2,48 milhões

A prefeitura do Rio de Janeiro liberou R$ 2,48 milhões para a realização ontem (sábado, 19) da Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 300 mil evangélicos de diferentes denominações. Foi a primeira vez que o evento no Rio contou com verba oficial e apoio institucional da Rede Globo. O dinheiro foi aprovado para a montagem de palco, sistema de som e decoração. O pastor Silas Malafaia, um dos responsáveis pela organização da marcha, disse que vai devolver R$ 410 mil porque o encontro teve também o apoio de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. “O povo de Deus é correto”, disse. “Quero ver a parada gay devolver algum dinheiro de evento.” Pela Constituição, que determina a laicidade do Estado, a prefeitura não pode conceder verba à atividade religiosa. Mas o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que compareceu à abertura da marcha, disse que o seu papel é apoiar todos os eventos, como os evangélicos e católicos e a parada gay. A marcha começou às 14h e contou com sete trios