Pular para o conteúdo principal

Fungos e bactérias podem ter doado genes para plantas durante processo evolutivo

A transferência de genes também ocorre no mundo animal. O humano, por exemplo, possui genes de origem bacteriana 


Agência Bori
serviço de apoio à imprensa na cobertura da ciência

Genes relacionados à quebra de carboidratos em algas e plantas terrestres atuais podem ter sido doados por fungos e bactérias durante interações ecológicas ancestrais.

É o que sugere um estudo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em parceria com a Universidade Estadual de Michigan, nos Estados Unidos. 

Os resultados, publicados na quarta (28), na revista científica “New Phytologist”, ajudam a entender o passado e o presente desses vegetais, contribuindo com o conhecimento sobre a evolução da vida no meio terrestre.

Pesquisadores investigaram a origem e a evolução de enzimas de plantas chamadas hidrolases de glicosídeos (GH), que são responsáveis pela quebra de carboidratos em diversas linhagens vegetais. 

Para isso, eles selecionaram algas e plantas terrestres do grupo Archaeplastida e analisaram os genes responsáveis pela codificação das enzimas GHs. A partir daí, compararam os resultados com genomas de diferentes plantas, bactérias e fungos disponíveis em bancos de dados para identificar semelhanças que pudessem revelar sua origem.


Interações entre fungos,
bactérias e plantas ocorrem
durante a evolução
FOTO: STEVE JOHNSON / PEXELS

A equipe constatou que parte dos genes responsáveis pela codificação das enzimas GH foi incorporada no genoma vegetal após interações com fungos e bactérias. 

Considerando essas trocas e duplicações internas desses genes ao longo do tempo, o número de genes GH nas plantas passou de cerca de 20, quando a fotossíntese surgiu nas primeiras células com núcleos, os eucariotos, para mais de 400 nas atuais plantas com flores.

Luiz Eduardo Del Bem, da UFMG e autor do artigo, comenta que esse processo deixou implicações que ajudaram a moldar a vida como conhecemos hoje. 

“Essa linhagem de plantas só conseguiu desenvolver sua atual capacidade de lidar com carboidratos, como os açúcares e polissacarídeos, através da aquisição de genes de bactérias e fungos”, explica.

Fonte de energia e elementos estruturais para as plantas, o carboidrato produzido no processo de fotossíntese tem impacto no crescimento e rendimento dos vegetais.

A pesquisa mostra parte do caminho feito pelas enzimas GH até chegarem nas células vegetais onde atuam hoje.

“Nosso trabalho sugere que, nas primeiras algas eucarióticas capazes de fazer fotossíntese, a maior parte da atividade das enzimas GH acontecia dentro das células e era ligada ao processamento de carboidratos para conseguir energia”, diz Del Bem. 

Na medida em que ocorreu a aquisição de um repertório mais diverso de GHs, com origem fúngica e bacteriana, a ação dessas enzimas parece ter migrado para fora e ao redor da célula, na chamada parede celular.

A transferência de genes entre espécies não é exclusiva das plantas. Del Bem confirma que nós, humanos, e outros animais também contamos com genes de origem bacteriana provenientes de processos semelhantes, conhecidos como transferências horizontais. 

Além da capacidade de transferência direta encontrada em alguns vírus e bactérias, que inspirou a criação de vegetais geneticamente modificados, o pesquisador diz que é possível que organismos ancestrais tenham capturado DNA livre do ambiente e incorporado em seus próprios códigos genéticos.

A partir de agora, os pesquisadores querem descobrir como o fluxo genético entre os organismos deixou as plantas modernas mais complexas. 

“Queremos entender como as plantas captam nutrientes minerais em meio terrestre e como funciona a ecologia de micro comunidades de solo, compostas por algas terrestres, fungos e bactérias vivendo juntos”.

> Com informação da revista “New Phytologist”.

Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Morre o americano Daniel C. Dennett, filósofo e referência contemporânea do ateísmo

Entre os 10 autores mais influentes de posts da extrema-direita, 8 são evangélicos

Ignorância, fé religiosa e "ciência" cristã se voltam contra o conhecimento

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Oriente Médio não precisa de mais Deus. Precisa de mais ateus

Vídeo mostra adolescente 'endemoninhado' no chão. É um culto em escola pública de Caxias

Ateu, Chico Anysio teve de enfrentar a ira de crentes