Pular para o conteúdo principal

Fiéis das Testemunhas de Jeová estão decepcionados com a demora do fim do mundo

Revista da igreja diz aos desaminados que é preciso ter fé porque Deus cumprirá a promessa de promover o Armagedom 


Fiéis idosos das Testemunhas de Jeová estão decepcionados com a demora do fim do mundo, o Armagedom, porque temem morrer antes desse evento que, segundo eles, acabará com a guerra, a pobreza e a doença, passando o mundo a ser governado diretamente por Deus.

A cúpula da religião, o Corpo Governante, não têm tido sucesso em prever o fim da humanidade para haver um novo mundo. Já anunciou a derrocada dos atuais tempos para 1914, 1975 e antes de 2.000.
 
Não houve até agora uma atualização dessa data, porque, acreditam os governantes, o Armagedom pode ocorrer a qualquer momento, o que é vago, daí a ansiedade de fiéis.

Somente neste ano, a edição de estudo d'A Sentinela, revista oficial da igreja, publicou dois artigos pedindo paciência aos fiéis que estão perdendo a esperança de que o fim do mundo ocorra logo.

Ilustração de publicação
das TJs sobre como poderá
ocorrer o fim do mundo

Diz um dos textos: " (...) Do ponto de vista humano, pode parecer que as promessas [o Armagedom, no caso] de Deus estão demorando para se cumprir. Mas Jeová sabe bem como seus servos se sentem. Ele até mesmo disse o seguinte para o profeta Habacuque: 'A visão ainda é para o tempo determinado. Ela avança rapidamente para o seu fim, e não mentirá. Mesmo que demore, continue na espera dela! Pois se cumprirá sem falta. Não se atrasará!"" (Hab.2:3)
 
Como exemplo de paciência, a revista citou Abraão, que foi pai somente após os seus 75 anos.

A revista ressalta que Abraão deixou o exemplo de que é preciso ter fé e fortalecer o espírito, o que pode ser feito com o comparecimento às reuniões da congregação, por exemplo.
 
"(...) Se fomos pacientes, assim como Abraão, teremos certeza de que Jeová vai nos recompensar agora e ainda mais no novo mundo."

A revista reconhece que "talvez não vejamos todas as promessas de Jeová se cumprirem imediatamente". 

Essa parece ser a versão da Igreja para uso interno, porque ela tem administrado bem seus negócios, no ramo imobiliário, e aplicações financeiras. 

É de se supor que ninguém procure valorizar seus bens materiais sabendo que o mundo pode acabar amanhã.

Comentários

Por que não se matam e vão encontrar Jesus mais cedo?
cultfriend disse…
E pior que nem cogitam a possibilidade de quem podem estar errados

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Padre associa a tragédia das enchentes ao ateísmo de gaúchos. Vingança de Deus?

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Santuário de Aparecida inaugura mosaicos de padre suspeito de abuso sexual

Marcha para Jesus no Rio contou com verba de R$ 2,48 milhões

A prefeitura do Rio de Janeiro liberou R$ 2,48 milhões para a realização ontem (sábado, 19) da Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 300 mil evangélicos de diferentes denominações. Foi a primeira vez que o evento no Rio contou com verba oficial e apoio institucional da Rede Globo. O dinheiro foi aprovado para a montagem de palco, sistema de som e decoração. O pastor Silas Malafaia, um dos responsáveis pela organização da marcha, disse que vai devolver R$ 410 mil porque o encontro teve também o apoio de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. “O povo de Deus é correto”, disse. “Quero ver a parada gay devolver algum dinheiro de evento.” Pela Constituição, que determina a laicidade do Estado, a prefeitura não pode conceder verba à atividade religiosa. Mas o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que compareceu à abertura da marcha, disse que o seu papel é apoiar todos os eventos, como os evangélicos e católicos e a parada gay. A marcha começou às 14h e contou com sete trios

Mescla da política e religião intimida ateus no Brasil. E defendê-los e defender a razão