Twitter obriga Malafaia a deletar fake news sobre 'infanticídio' por vacina

Pastor bolsonarista usa a plataforma para semear o pânico 

O Twitter determinou que Silas Malafaia excluísse 11 postagens associando a vacinação de Covid em criança a "infanticídio" — Em pelo menos em uma mensagem ele critica o jornalismo do Globo por pedir ao presidente Bolsonaro empenho em imunizar as crianças,

Trata-se de afirmação mentirosa do pastor porque não há nenhuma evidência científica de que a vacinação de criança seja perigosa.

A plataforma suspendeu Malafaia por 12 horas — período em que não poderá postar qualquer mensagem. Mas ele poderá recorrer.

Postagem do pastor
que semeia o pânico

Tuiteiros criaram a hashtag #DerrubaMalafaia, para que o pastor seja expulso da plataforma por ser um dos mais ativos militantes do negacionismo bolsonarista.

O Twitter comunicou ao pastor que o referido conteúdo são "gravemente nocivos", violando a política de informações enganosas sobre a doença. 

O Ministério Público Federal pediu explicação ao Twitter por que tem concedido selo de verificação a usuários que divulgam fake news. Um exemplo é a bolsonarista Bárbara Destefani.

> Com informação da Folha de S.Paulo.