Pular para o conteúdo principal

Igreja Católica da Alemanha pagou R$ 124 milhões em 2020 em indenização por abuso

JOSÉ BELTRÁN | VIDA NUEVA DIGITAL   A Conferência Episcopal Alemã recebeu em 2020 cerca de 2.600 pedidos de indenização por abuso sexual. Em 2021, só em janeiro, o houve o total de 116. 

O escândalo do coral de Regensburg fez com que esta diocese pagasse até 9,6 milhões de euros em indenizações.

Em 2020 a Igreja Católica da Alemanha pagou 19 milhões de euros (equivalente a 124 milhões de reais) às vítimas de abusos, de acordo com um relatório de 27 dioceses alemãs e que desvela que ao longo dos doze meses receberam até 2.600 solicitações de algum tipo de indenização.

Encabeça as indenizações o bispado de Regensburg, atingido pelo escândalo do coral de meninos e que recaiu de forma indireta sobre o irmão de Bento XVI.

Calcula-se que desta Igreja local chegaram a ser pagos 9,6 milhões de euros. Por outro lado, a diocese que se viu menos afetada foi a de Görlitz, que desembolsou apenas 4 mil euros por uma única denúncia.

Esta auditoria veio a público justo quando a Conferência Episcopal Alemã modificou seu sistema de compensação econômica às vítimas, segundo o aprovado na Assembleia Plenária que os bispos celebraram em Fulda. 

A partir de agora, os sobreviventes das agressões no seio da Igreja poderão receber até 50 mil euros de indenização em um pagamento único. Será um organismo independente que avaliará cada caso e tomará as decisões correspondentes. 

Além disso, a Igreja se compromete a custear o acompanhamento psicológico que a pessoa precise, assim como a pertinente terapia de casal, se necessário.

Este novo protocolo tem ainda um caráter retroativo, isso é, aquelas pessoas que foram vítimas e que já receberam algum tipo de compensação, podem voltar a apresentar uma nova solicitação para que a comissão independente avalie novamente seu caso. 

No tempo já decorrido em 2021, foram apresentadas pelo menos 116 novas denúncias, posto que nem todas as dioceses tinham informação atualizada a respeito. 

Segundo os estudos elaborados pela própria Igreja alemã, calcula-se que entre 1946 e 2014 até 3.677 menos foram vítimas de agressores sexuais no âmbito da Conferência Episcopal. 

No caso da vida religiosa, a Conferência Alemã de Superiores contabiliza 1.412 pessoas, das quais 774 teriam recebido algum tipo de compensação econômica.

Padres pedófilos em toda as
congregações da igreja alemã

Com tradução de Wagner Fernandes de Azevedo para IHU Online. 



Na Alemanha hospitais católicos se recusam a atender estuprada

Comentários

Posts mais acessados na semana

No Brasil, mulher que não crê em Deus é submetida à opressão em dobro

Cobrado por aluguel de templo, Valdemiro diz não ter contrato social com a Igreja Mundial

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade