Universidade de Mato Grosso do Sul volta a servir de púlpito para criacionistas

A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) promoveu em apenas 30 dias dois eventos supostamente científicos como pretexto para pregação de cunho religioso.

No dia 5 de outubro, o INTEGRA UFMS, importante fórum anual da universidade, foi aberto pelo professor de química Marcos Eberlin, que é presidente da Sociedade Brasileira de Design Inteligente.  Entre outras coisas, ele falou que a explicação para existência da água é "sobrenatural", por causa de suas 74 propriedades físico-químicas.

Nesta quinta-feira (5), a universidade realizou o Seminário Online Cristianismo e Ciência, para abordar o diálogo entre religião e ciência. 

Os palestrantes foram os professores Roberto Pich, Fabrício Tavares, Marcos Romano, Marcelo Cabral e Adolfo Hickmann. Todos enalteceram a religião, em especial o cristianismo reformado, por sua relevância, segundo eles, para o desenvolvimento da ciência. 

O máximo que destoou entre os palestrantes foi que dois deles admitiram não haver uma “ciência cristã”.

O evento contou com o apoio da Associação Brasileira Cristãos na Ciência e da Editora Monergismo. O site da editora explica o que é “monergismo”: “’poder de um só” e alude ao fato de que Deus é livre e soberano, enquanto nós, as suas criaturas, somos completamente dependentes dele”.

O coordenador do seminário foi Johannes Janzen, professor de urbanismo e geografia e também ativista do criacionismo, como Erbelin.

No 1º Congresso Brasileiro do Design Inteligente, em 2014, Janzen falou sobre “Design Inteligente: um pressuposto fundamental e primordial da Ciência. “[Há] uma ordem inteligível no universo”, defendeu.

Após o INTEGRA, a comunidade científica se manifestou contra a instrumentalização da universidade para a divulgação do criacionismo. Cerca de 60 professores da UFMS assinaram na oportunidade uma moção de repúdio à importância que a instituição deu a Erbelin.

O Seminário Cristianismo e Ciência passou despercebido. No auge de sua audiência, ao vivo, não teve mais de 40 participantes.

O que está em jogo, contudo, é a credibilidade da UFMS. O pode estar havendo ali, além da ocupação de espaço público para fins religiosos, é oportunismo político, de modo a haver um alinhamento com o titular da Ministério da Educação, o criacionista e pastor Milton Ribeiro, e o presidente Jair Bolsonaro, que se elegeu com o bordão "Deus está acima de tudo".

"O poder de um só"






Ensino do criacionismo é uma afronta à escola, diz professor

Comentários

  1. Anônimo11/06/2020

    40 pessoas apenas assistiram a pregação do criaburrismo, que fiasco, kkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Artista gospel se recusa a cantar em casamento de amigo gay

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Carl Sagan escreve sobre um 'pálido ponto azul' nos cosmos, a Terra

Historiadora diz que Moisés não existiu. E sofre ameaças de morte