Pular para o conteúdo principal

Homem acusado de blasfêmia é morto a tiros em tribunal do Paquistão

Em uma audiência em um tribunal do Paquistão, na cidade de Peshawar, Tahir Ahmad Naseem foi assassinado com seis tiros por um fanático religioso.

Ele respondia a uma ação judicial sob a acusação de blasfêmia por se apresentar como profeta.

Preso em flagrante, o assassino disse que assume a responsabilidade pelo atentado.

Naseem estava preso desde 2018 à espera de um julgamento.

O Paquistão tem 200 milhões de habitantes e quase a sua totalidade é muçulmana.

A lei da blasfêmia do país é uma das mais severas do mundo porque inclui a pena de morte.

Com informação Aljazeera.





Paquistão censura Twitter por causa caricaturas de Maomé

Ateus no Paquistão têm vida secreta para não serem mortos

Paquistanês ficará 13 anos na cadeia por ofender Maomé

Sete países têm lei de pena de morte a ateus, revela relatório




Comentários