Pular para o conteúdo principal

Estuprador de pacientes vai para prisão domiciliar por causa do coronavírus

Advogados do ex-médico Roger Addelmassih obtiveram para o seu cliente transferência do presídio para prisão domiciliar para poupá-lo do contágio do novo coronavírus.

Especialista em fertilização in vitro, Abdelmassih foi condenado a 173 anos de prisão por abusar sexualmente de pacientes, além de perder o registro profissional.


A juíza Sueli Zeraik, da Vara de Execuções Penais de Taubaté (SP), acatou a alegação dos advogados de que o ex-médico de 76 anos tem um quadro de doenças crônicas, enquando-se, portanto, no grupo de risco para infecção pelo coronavírus.

A magistrada tomou a decisão com base em recomendação do Conselho Nacional de Justiça para que os casos de detentos mais vulneráveis recebam atenção do Poder Judiciário.

É a segunda vez que Abdelmassih é liberado para prisão domiciliar.

Em 2017, ele apresentou laudo descrevendo a necessidade de atendimento médico, mas a Justiça descobriu que o documento foi forjado e ele voltou para o presídio de Tremembé (SP).

Com informação das agências.



Justiça de Santa Catarina determina que casal vacine seus três filhos

Vacina tríplice não aumenta risco de autismo, concluiu pesquisa

Canadense antivacina causa surto de sarampo em Vancouver

Estado de Nova Iorque obriga judeus ortodoxos a vacinarem seus filhos




Comentários

Posts mais acessados na semana

Maioria dos católicos dos Estados Unidos apoia a pena de morte; ateus rejeitam

Pesquisa confirma que o cristianismo está se desintegrando nos Estados Unidos

Testemunhas de Jeová dizem que excluídos da religião têm doença contagiosa grave