Pular para o conteúdo principal

Polícia da Coreia do Sul invade templos da seita que disseminou o coronavírus

A polícia da Coreia do Sul invadiram na sexta-feira templos de uma seita que desobedeceu às orientações sanitárias, tornando-se o maior polo de transmissão do novo coronavírus no país

Em Gwacheon, Busan, Gwangju e Daejeon, cerca de 100 agentes policiais colheram em templos da Igreja de Jesus de Shincheonji material para as investigações em curso.

Fundador da seita, Lee Man-hee, 89, se apresenta como encarnação de Jesus Cristo.


Os primeiros casos de contaminação na Coreia do Sul ocorreram entre os seguidores da seita.

No começo de março, Lee pediu perdão à população. O que não impediu o prosseguimento das investigações, até porque o líder da seita e seguidores se recusavam ao teste de detectação do vírus.

As autoridades atribuem à seita quase metade dos 11.000 casos confirmados de coronavírus registrados no país.

Um grupo de pessoas está processando a seita com a acusação de violação de prevenção a doenças infecciosas. 
f
LEE DIZ SER A
SEGUNDA VINDA
DE JESUS


Com informação das agências.






Defensor de templos abertos, deputado Pastor Silas Câmara pega coronavírus

Assessor de saúde pública de Trump diz que 'Deus sempre tem um plano'

Com sintomas de paranoia, alemã que nega haver pandemia foi internada em clínica psiquiátrica

Pastor americano diz que Deus enviou o coronavírus para 'eliminar' pecadores

Comentários

Emerson Santos disse…
Espero que tenham usado cassetetes , gás de pimenta e corredor polonês .. só assim esses fanáticos aprendem...

Posts + acessados hoje

Pregação criacionista abre evento científico da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Robinho e Neymar se negam a ver crianças de lar espírita

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade