Defensor de templos abertos, deputado Pastor Silas Câmara pega coronavírus

Texto opinativo   Firme defensor da abertura dos templos durante a pandemia, pelo menos até recentemente, o deputado Pastor Silas Câmara (Republicanos-AM) pegou coronavírus e está de quarentena.

Da Assembleia de Deus de Manaus, Câmara é líder da Frente Parlamentar Evangélica, que é o “partido”, o único, da base de sustentação do presidente Bolsonaro.


Há relatos de quem sobreviveu ao coronavírus de que o sofrimento pode ser extremo, com a sensação de estar morrendo afogado no seco, por falta de ar.

Assessores de Câmara dizem ele está passando bem, porque os sintomas da doença têm sido suaves.

Melhor assim.

Resta a esperança de que o vírus faça Câmara refletir sobre o quanto tem sido estúpido, mas não acredito em milagre. 

CÂMARA SEMPRE MINIMIZOU
O CORONAVÍRUS. TALVEZ AGORA
ELE TENHA MUDADO DE OPINIÃO


Com informação da Jovem Pan e de outras fontes e foto de divulgação.





Coronavírus faz igreja dos EUA de cura pela fé a cancelar visitas a hospitais

Justiça manda Santuário de Aparecida cancelar eventos por causa do Covid-19

Coronavírus faz Centro Adventista cancelar palestra com criacionista

Pastor americano diz que Deus enviou o coronavírus para 'eliminar' pecadores





Comentários

  1. O dia em que os brasileiros do bem puderem se livrar dessa escória imunda, negativista, anticientífica, criminosa, genocida, então o Brasil terá uma chance de se desvincular da idade das trevas medieval do cristianismo corrupto, assassino, mefistofélico!

    ResponderExcluir
  2. 16.04.2022
    VIVA O FERIADO DO DIA DE TODOS OS SANTOS (!) E O FERIADO DO DIA DE TODOS OS CIENTISTAS (?). ETA! POVINHO MAL-AGRADECIDO! A humanidade se livrou do cativeiro, do trabalho escravo ou servil, da vida nômade e selvagem, das intempéries e da ignorância dos tempos da “Criação”, e passou a viver com conhecimento e informação, protegida em residências e arranha-céus construídos pela engenharia moderna, contemporânea e atual, mas agradece aos deuses de milhares de anos atrás por terem conseguido a casa própria ou por terem conseguido pagar ou receber o aluguel! A humanidade usa diariamente a energia elétrica e os eletrodomésticos, mas agradecem aos seus respectivos deuses pela comodidade, bem-estar e funcionalidade da vida moderna. As populações utilizam os meios de transporte moderno, mas agradecem aos deuses por terem feito uma boa viagem. Os seres humanos usam a medicina, medicamentos, vacinas, cirurgias, todos os tipos de exames laboratoriais e de imagens para obter eficazes diagnósticos, mas agradecem aos seus respectivos deuses por não terem tido efeitos colaterais e pelo tratamento bem-sucedido. Os seres humanos fazem uso do dinheiro inventado por cientistas do passado, que viviam sob a égide de deuses já desaparecidos, ou tornados mitológicos, mas agradecem aos seus deuses “reais” da atualidade por ter conseguido o vil metal impresso por moderníssimas tecnologias offset. Ou, então, rezam aos deuses para conseguir enriquecer, com a finalidade de suprir suas necessidades de consumo das revoluções industriais. O Homem vai à escola e às universidades buscar conhecimentos de física, química, biologia, astronomia, enfermagem, medicina, informática, engenharias, etc., mas agradecem às suas respectivas divindades por terem conseguido o diploma, a profissão e o emprego, como se tudo isso tivesse caído dos céus como maná e codornizes! Os indivíduos usam os sapatos ou calçados produzidos pelas máquinas da indústria contemporânea, mas agradecem aos deuses por não terem desenvolvido calosidades ou feridas nos pés. As “criaturas” humanas se divertem com a música das bandas eletrônicas ou das modernas tecnologias do som Hi-Fi, mas agradecem a Deus por não terem nascido surdos! Todos os encontros, namoros, casamentos atuais acontecem graças ao modo de vida contemporâneo promovido pelos modernos meios de transporte que permitem deslocamentos por longas distâncias nacionais e globais, pelas migrações, imigrações, localização de escolas, empregos, turismo, festas, etc. Mas os seres humanos vão às suas igrejas ou templos agradecerem seu destino aos deuses e pedirem as bênçãos divinas pela celebração cerimonial do enlace matrimonial! A Ciência já dadivou a humanidade com todas as ciências e suas tecnologias para uma vida planejada, segura, e de bem-estar social como jamais houve em 10 mil anos de civilização urbanizada. No entanto, os cidadãos fazem o sinal da cruz, ao saírem e voltarem para suas casas agradecendo aos seus respectivos deuses por terem sobrevivido à incompetência, corrupção e incapacidade de seus políticos eleitos, bem como por terem saído ilesos dos piratas bolcheviques do asfalto e das organizações criminosas. Eta! Povinho “nômade”, “perambulante”, supersticioso, crendeiro, ingrato e mal-agradecido à Ciência, e aos cientistas de todos os tempos! LUÍS CARLOS BALREIRA. PRESIDENTE MUNDIAL DA LEGIÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA.

    ResponderExcluir
  3. 03.05.2022
    LOBOS E CORDEIROS. NOVAS ESPERANÇAS. URNAS ELETRÔNICAS E NOVAS ALIANÇAS. Brasil, das Diretas-Já, da “democracia, do Estado de Direito e da constituição cidadã”, passou a ser governado por comunistas, evangélicos, advogados do diabo e proprietários da Grande Mídia. De lá para cá, nesses longos 40 anos, nesse deserto de homens e livros, tivemos, sem parar, um apocalipse, um armagedon, um holocausto e um genocídio nosso de cada dia. Mas “Graças a Deus”, como bem disse nosso iluminado Messias “o Brasil não é um Estado laico e sim de maioria cristã. Novamente reina nos ares o divino e iluminado manto da esperança: Lobos e cordeiros estão eufóricos com as urnas eletrônicas e com as novas alianças. (L. C. Balreira).

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Artista gospel se recusa a cantar em casamento de amigo gay

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Carl Sagan escreve sobre um 'pálido ponto azul' nos cosmos, a Terra

Historiadora diz que Moisés não existiu. E sofre ameaças de morte