Justiça manda Santuário de Aparecida cancelar eventos por causa do Covid-19

Atendendo pedido do Ministério Público, a Justiça determinou que o Santuário Nacional de Aparecida cancelasse missas e eventos programados para sábado, 14. A medida vale por 30 dias.

TEMPLO TEM CAPACIDADE
PARA 40 MIL PESSOAS EM
TORNO DO ALTAR CENTRAL

Maior templo católico do Brasil, o santuário localizado na cidade de Aparecida (SP), ao reunir multidões, facilita a transmissão do coronavírus.

Autora da sentença, a juíza Luciene Belan Ferreira Allemand disse ter considerado que a “ameaça de contaminação e disseminação da doença, por se tratar de medida de saúde pública, evitando-se, assim, a exposição de diversas pessoas ao vírus, bem como suas consequências”.


A Basílica e outras dependências vão continuar abertas à visitação. As missas continuarão sendo celebradas em espaço reservado aos padres, sem a presença do público, mas serão transmitidas pela TV Aparecida, rede de televisão católica sediada no santuário.

Se o Santuário tivesse se antecipando, suspendendo suas atividades por conta própria, mostrando preocupação com o bem-estar dos fiéis, o Ministério Público e a Justiças não teriam de intervir.

Com informação da Agência Brasil e de outras fontes e foto de divulgação.




Em tempo de coronavírus, a religião tem de se ajoelhar diante da ciência

Vacina contra o coronavírus deve sair em um ano e meio, diz professor da USP

Saiba como se proteger do coronavírus

Estudo confirma que coronavírus oferece maior risco de morte aos idosos

Coronavírus faz Centro Adventista cancelar palestra com criacionista

Trump declara emergência para poder desbloquear US$ 50 bi contra o coronavírus





Comentários

Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Nobel 2019 de Física afirma que 'não há lugar para Deus no universo'

Com fechamento de 400 templos em uma década, Igreja da Inglaterra ruma para o fim

Robinho: de jogador promissor a evangélico fanático e a estuprador

Igreja de 221 anos fecha nos EUA por falta de fiéis; avanço da secularização