Pular para o conteúdo principal

Nova Iguaçu abre núcleo de atendimento às vítimas de intolerância de evangélicos

Nova Iguaçu abriu o primeiro Navir (Núcleo de Atendimento às Vítimas de Intolerância Religiosa), que, na prática, vai dar apoio aos terreiros que têm sido atacados por evangélicos, porque esse tipo ocorrência compõe a maioria dos casos no Rio de Janeiro.

Só em 2019, houve 132 violações de templos, sendo 102 deles de matriz africana. Na região do Navir, 15. No víde abaixo, um dos ataques.

Em relação há templos evangélicos, católicos e de outras religiões houve apenas um registro de violação para cada um deles.


A Polícia Civil do Rio sabe que os autores dos ataques são de facções de evangélicos, como os "Bandidos de Jesus", que se converteram em presídios onde o proselitismo religioso é dominado por igrejas neopentecostais.

Esses fanáticos religiosos não têm se intimidado com a polícia porque os ataques continuam.

Primeiro no gênero no Brasil, o Navir vai dar atendimento assistencial, psicológico e jurídico às vítimas da intolerância.

Roberto Braga, 34, sacerdote de candomblé, comentou: "As pessoas que sofrem de intolerância passam a sentir mais segurança e estimulam a fazer as denúncias. Agora temos uma voz na Baixada. Já foram ameaçadas e agora estamos vendo um resultado positivo".


Com informação do UOL, O Dia e de outras fontes.


Bandidos evangélicos expulsam mães de santo de favelas do Rio

Livro mostra a relação no Rio do tráfico com igrejas evangélicas

'Bandidos de Jesus' destroem terreiro de candomblé na Baixada Fluminense

Traficantes evangélicos proíbem no Rio cultos de matriz africana




Comentários

Emerson Santos disse…
Seguidores de uma fantasia ... atacando seguidores de outra fantasia ... é só o que consigo enxergar ....
Assistente Científico disse…
Quem ataca tem boa velocidade, quem fica parado tem bom dia, boa tarde e boa noite.

Posts + acessados hoje

Antes de dizer em live 'aceitem a paz do Senhor', pastor xinga sua mulher

Vídeo mostra que filho de Testemunhas de Jeová já discrimina colega da escola

Justiça de Angola determina o fechamento de todos os templos da Igreja Universal