Pular para o conteúdo principal

Terceira sentença condena o curandeiro João de Deus a 40 anos de prisão por estupro

Charlatão poderá cumprir
 penas em sua casa por causa
 da fragilidade  de sua saúde

A juíza Rosângela Rodrigues, da Comarca de Abadiânia (GO), condenou hoje (20 de janeiro de 2020) o curandeiro João de Deus (foto) a 20 anos de prisão por ter ele estuprado cinco mulheres entre 2011 e 2017.

É a terceira sentença condenatória ao curandeiro.

Pela primeira, anunciada em novembro de 2019, ele pegou quatro anos de prisão por posse ilegal de armas.

Na segunda vez, em dezembro de 2019, a pena foi de 19 anos de prisão por fraude e estupro de dois menores de idade.


A juíza Rosângela disse que as vítimas relatam modus operandi do líder religiosos estuprados.

“Todas narram que a violação sexual teria ocorrido durante um atendimento individual numa sala privativa.”

A juíza ainda terá de emitir dez sentenças de outras 41 vítimas.

Haverá outras condenações, mas a juíza admite que João de Deus poderá cumprir as penas em regime domiciliar, por causa de problemas de saúde.

Com informação da Agência Brasil e de outras fontes.


Já existem 506 relatos de mulheres que acusam João de Deus de abuso

Guias turísticos diziam que ejaculações de João de Deus curavam mais que operação espiritual

Eu, Zahira Lieneke, 34, sofri abuso de João de Deus

Em vídeo, Drauzio Varella critica João de Deus e diz: 'Milagres não existem'




Comentários

Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato