Amazon retira de venda enfeites de Natal com imagem de Auschwitz

Neste campo de extermínio,
 os nazistas mataram 1 milhão
 de pessoas, na maioria judeus

por Deutsche Welle

Pressionada por críticas, a gigante do comércio online Amazon removeu de sua página objetos com imagens [um exemplo acima] do antigo campo de concentração de Auschwitz, na Polônia, que estavam sendo vendidos como lembranças natalinas por uma loja dentro do site.

Abridores de garrafa, mouse pads e enfeites para árvores de Natal eram comercializados como “lembranças de viagens”, junto a peças decorativas de cidades e monumentos de todo o mundo.

Em um post no Twitter, o Museu de Auschwitz criticou duramente a venda de produtos alusivos ao maior campo de concentração utilizado pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

“Auschwitz em um abridor de garrafas é bastante perturbador e desrespeitoso”, publicou o museu no dia 1º de dezembro de 2019), pedindo que a gigante do varejo online removesse os itens.

Um porta-voz da companhia disse à DW que os itens foram retirados do site.

“Todos os vendedores devem seguir nossas diretrizes de venda, e aqueles que não o fizerem estarão sujeitos à ação, incluindo a possível remoção de sua conta. Os produtos em questão foram removidos”, declarou.

Apesar de os objetos terem sido retirados do ar, a loja do vendedor permaneceu aberta.

No início deste ano, a Amazon já havia enfrentado reações negativas na internet por vender tapetes e sapatos com imagens de deuses hindus. Milhares de usuários de mídias sociais pediram, principalmente na Índia, boicote ao site de compras.

O Museu de Auschwitz utiliza regularmente as redes sociais para chamar atenção para as atrocidades cometidas pelo regime nazista durante a Segunda Guerra Mundial e também para recordar vítimas do Holocausto. Localizado no sul da Polônia, Auschwitz foi o maior campo de extermínio nazista.

Ao menos 1 milhão de pessoas — a maioria judeus — morreram no local entre 1940 e 1945, até a libertação dos prisioneiros restantes por tropas soviéticas. .

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.



No Uruguai, Natal não é de Jesus, mas dia de comemorar a família

Por que Natal é uma festa de todos, não só dos cristãos

Natal é a celebração de uma grande mentira cristã

Drauzio Varella afirma que o Natal é uma festa 'meio cafona'




Comentários

EDITOR DESTE SITE



Paulo Lopes é jornalista profissional diplomado.
Trabalhou no jornal centenário abolicionista
Diário Popular, Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras publicações.