Maioria dos americanos não quer envolvimento da religião com política

Organização de livres
pensadores alerta que
 a mistura de Deus e
Governo é perigosa

Do total da população adulta dos Estados Unidos, 63% não querem que a religião e suas instituições se envolvam com a política do país. 75% acham que os líderes religiosos não devem apoiar candidatos.

Só para 36% os líderes religiosos devem expressar suas opiniões em questões sociais e política.

A pesquisa foi realizada Pew Research Center, que consultou pela internet 6.364 pessoas no período de 18 de março a 1º de abril de 2019.

O Partido Democrata aposta nessa tendência da sociedade para se fortalecer diante das pretensões eleitorais do Partido Republicano, incluindo o presidente Donald Trump, que tem uma forte aliança com os cristãos mais conservadores e vai tentar se reeleger.

Mais da metade dos norte-americanos tem a impressão de que as instituições religiosas fazem mais bem à sociedade do que mal, excluindo a política.

Há uma percepção de que as religiões aproximam as pessoas e fortalecem a moralidade da sociedade.

Outras pesquisas mostram que tem havido um crescimento de pessoas sem religião, mas os líderes religiosos, de maneira geral, continuam com prestígio, conseguindo passar a imagem de padrão ético elevado.

Quatro em cada dez religiosos afirmam que têm muita confiança em seus líderes quando se trata de orientação em assuntos como aborto, imigração e mudanças climáticas.

Com informação da Pew.




Nos Estados Unidos, número de sem religião dobra em 14 anos

Pesquisa confirma declínio acelerado do cristianismo nos Estados Unidos

Pesquisa enumera as dez cidades mais pós-cristãs dos Estados Unidos

Geração Z dos EUA tem 35% de não afiliados à religião




Comentários

EDITOR DESTE SITE



Paulo Lopes é jornalista profissional diplomado.
Trabalhou no jornal centenário abolicionista
Diário Popular, Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras publicações.