MP de Goiás apresenta a 10ª denúncia contra o curandeiro João de Deus

Charlatão é candidato a
 maior abusador sexual em
 série da história brasileira

O MP (Ministério Público) de Goiás apresentou em 30 de outubro de 2019 a décima denúncia (acusação formal à Justiça) contra o curandeiro espírita João de Deus.

Ele se encontra preso preventivamente desde dezembro de 2018 sob a acusação de dezenas de mulheres de abuso sexual.

O religioso nega os crimes.

A denúncia desta vez envolve 15 casos que ocorreram entre 2016 e 2016.

O promotor Luciano Miranda informou que houve a prescrição de pelo menos 10 casos, pelo fato de João de Deus ter 78 anos.

Crimes cuja autoria é atribuída a quem tem mais de 70 anos prescrevem na metade do prazo.

No caso do curandeiro, a prescrição caiu de 20 para 10 anos.

O curandeiro vem tentando trocar o presídio por prisão domiciliar com a alegação de que a sua saúde é frágil.

Até agora ele não conseguiu convencer nenhum juiz.

Com informação do Ministério Público de Goiás e de outras fontes.



Já existem 506 relatos de mulheres que acusam João de Deus de abuso

Número de vítimas de João de Deus deve superar o de Roger Abdelmassih

Eu, Zahira Lieneke, 34, sofri abuso de João de Deus

Em vídeo, Drauzio Varella critica João de Deus e diz: 'Milagres não existem'


Comentários