Supremo manda DF incluir casais gays em políticas pró-famílias

Por onze votos a zero, o STF (Supremo Tribunal Federal) obrigou a inclusão de casais gays em políticas de valorização da família previstas em lei do Distrito Federal.

A votação ocorreu em uma votação virtual e foi a pedido do PT.

Não houve, portanto, discussão em plenário.

Aprovada em 2018, a lei considera como família somente união entre homem e mulher, em casamento ou união estável.

A decisão confirma a tendência do STF em questões similares e deixa as lideranças evangélicas homofóbicas irritadas.

Com informação do STF.



'Boçais’ e ‘cretinos’ usam ideologia de gênero para perseguir gays, diz Varella

Evangélicos são o grupo religioso menos confiável da Nova Zelândia

MP contesta lei de Rio Branco que exclui casais gays do conceito de família

Justiça do Acre veta lei que excluía casais gays do conceito de família





Comentários


EDITOR DESTE SITE

Paulo Roberto Lopes é jornalista

profissional diplomado. Trabalhou

no jornal centenário abolicionista

Diario Popular, Folha de S.Paulo,

revistas da Editora Abril e

em outras publicações.

Contato