Irã condena ativista a 27 anos de prisão por recusa ao uso de véu islâmico

Uma instância do Tribunal Revolucionário de Teerã (Irã) condenou Saba Kord Afshari, 20, a 24 anos de prisão por ela não usar hijab e andar sem o véu islâmico, o que é "propaganda contra o Estado”.

A sentença foi divulgada no dia 27 de agosto de 2019 em decorrência de várias denúncias contra a jovem, que é ativista de direitos humanos.

A Justiça aplicou uma pena severa porque Saba se recusou várias vezes a gravar um vídeo admitindo culpa.

Para pressioná-la ainda mais, o Ministério da Inteligência chegou a prender sua mãe, Raheleh Ahmad,

Saba e Raheleh participavam de manifestações contra o uso do hijab e postavam vídeos [ver um abaixo] de si mesmas andando em Teerã sem a vestimenta islâmica.

Movimentos internacionais de direitos humanos estão pressionando as autoridades do Irã para  cancelar a condenação e libertar outras mulheres que são tidas como criminosas por desafiar discutíveis leis islâmicas.



Com informação das agências.



Indiana desiste de disputa de xadrez no Irã por causa do uso do véu islâmico

Irã proíbe venda dos bonecos 'Os Simpsons' por ofenderem o Islã

Governo do Irã proíbe ensino de inglês nas escolas primárias

No Irã, sair com cão na rua poderá ser ofensa a Maomé





Comentários

Novo Satanás disse…
De acordo com Jesus, o Cristo, quem visita os pequeninos que estão na prisão, visita o próprio Jesus.

"39.Quando foi que te vimos enfermo ou na prisão e te fomos visitar?’. 40.Responderá o Rei: ‘Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que fizestes isso a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes.’"
São Mateus, 25 - Bíblia Católica Online

Leia mais em: https://www.bibliacatolica.com.br/biblia-ave-maria/sao-mateus/25/