Indiana desiste de disputa de xadrez no Irã por causa do uso do véu islâmico


Swaminathan diz
 que o véu viola o
 seu direito de crença

A jogadora de xadrez indiana Soumya Swaminathan (foto), 29, não participará do campeonato asiático de xadrez, em julho no Irã, em protesto contra a lei sobre o uso obrigatório do hijab (véu islâmico).

Soumya Swaminathan, que ocupa o quinto lugar no ranking da Índia, preparava-se para a competição  quando soube que o torneio iria mudar de lugar e seria realizado no Irã, em vez de no Bangladesh.

Assim que soube da mudança, a indiana anunciou que iria abandonar a competição por causa da lei que obriga as participantes ao uso do véu.

"A lei iraniana [do uso] do véu obrigatório viola os meus direitos humanos básicos, incluindo o meu direito à liberdade de expressão e o direito à liberdade de pensamento, consciência e religião", escreveu Swaminathan em sua página no Facebook. 



Dinamarca proíbe uso em público de véu islâmico que cobre o rosto

Áustria proíbe véu islâmico e distribuição do Corão




Iraniana é condenada a dois anos de prisão por protesto contra véu

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Busca neste site