Aumenta no mundo árabe número de pessoas sem religião

Uma pesquisa em 10 países e territórios palestinos revelou que o número de pessoas não religiosas cresceu no mundo árabe.

Em 2013, essas pessoas representavam 8% da população da região e agora, 13%.

A pesquisa de agora foi feita pelo Arab Barometer a pedido da BBC News Arabic, entre o fim de 2018 e maio de 2019. Foram entrevistadas 25.407 pessoas.

Entre os jovens, com menos de 30 anos, o crescimento foi maior, de 18%.

Trata-se de um índice expressivo porque o mundo árabe possui uma forte tradição religiosa, com predominância do Islã.



O Barometer é constituido por uma rede de pesquisadores em vários países e sua sede fica nos Estados Unidos, na Universidade de Princeton.

Entre os não religiosos da pesquisa se encontram ateus e agnósticos.

Eles não foram apontados porque os descrentes, na maioria desses países, sofrem forte discriminação do Estado, da sociedade e da família.

Muitos ateus não se declarariam como tais, como, aliás, ocorre em países de maioria cristã, como o Brasil.

Na Arabia Saudita ateus são classificados como terroristas.

Um estudo sobre os sem religião divulgado em 2014 pela Universidade do Cairo apurou que naquele país o número de ateus representa 12% da população ou 10 milhões de pessoas.

O Barometer também apurou o posicionamento dos árabes sobre questões como direito das mulheres, migração, segurança e sexualidade.

A aceitação da homossexualidade é baixa, quase inexistente.

A maioria apoia o direito de uma mulher se tornar primeira-ministra ou presidente, mas quem deve mandar em casa é o marido.



Com informação e gráficos da BBC Brasil e de outras fontes.





Tunísia é o 1º país árabe muçulmano a permitir associação de ateus

Imigrantes islâmicos reprimem ateus de comunidade na Grã-Bretanha

Aumenta nos EUA número de ateus em famílias muçulmanas

Primavera Árabe encoraja ateus a saírem do 'armário'

Sete países têm lei de pena de morte a ateus, revela relatório



Receba por e-mail aviso de novo post

Comentários