Repórter da Globo cria constrangimento ao dar uma Bíblia a Bolsonaro

Jornalista Delis Ortiz
ultrapassou a linha
 do profissionalismo

[opinião] No café da manhã de Jair Bolsonaro com 29 jornalistas, no dia 14 de junho de 2019,  houve algo que ficará registrado como inusitado na história da imprensa brasileira: Delis Ortiz, repórter da Globo, deu  ao presidente uma Bíblia de presente.

Repórter não presenteia presidente da República e vice-versa. Entre um e outro há uma linha divisória que se chama profissionalismo.

Para piorar, o presente foi uma ofensa ao Estado laico, uma Bíblia, em nome da qual, aliás, tem crescido a intolerância religiosa no país, contra os seguidores de religiões de matriz africana.

Houve constrangimento da parte dos jornalistas que ali estavam.

Delis Ortiz teria dito que a Bíblia era um presente em nome de todos, de seus colegas jornalistas, o que não é verdade.

O cerimonial do Palácio do Planalto também foi pego de surpresa, porque não sabia da iniciativa da repórter.

Um fato talvez explique o carinho que Delis Ortiz tem pelo presidente Bolsonaro.

Em abril deste ano (2019), a Secretaria Geral da Presidência da República nomeou Delícia Ortiz, filha da repórter, para um cargo de controle da saúde.

A nomeação foi cancelada depois de ter sido vazada pelos jornais.

Com informação do site Poder360.e foto de Marcos Corrêa / PR 





Youtuber diz que sacrifício de bode atrapalha governo de Bolsonaro

Fundamentalismo religioso de Bolsonaro é pior que o da Idade Média, diz Roberto Freire

Estudo revela que profissão de pastor atrai psicopatas

Onde termina o extremismo religioso e começa a loucura?

Damares diz que aborto é plano de Satanás para impedir nascimento de missionários



Receba por e-mail aviso de novo post

Comentários

Anônimo disse…
Que delícia, cara!