Testemunhas de Jeová recorre para não pagar US$ 35 milhões por acobertar pedófilo

Igreja reconhece que houve
 o abuso, mas não quer pagar
 a indenização fixada pela Justiça

A Congregação Thompson Falls das Testemunhas de Jeová entraram com recurso na Justiça de Montana (EUA) para não de ter de pagar US$ 35 milhões a uma mulher que sofreu estupro de um ancião (sacerdote).

Dos 8 aos 9 anos Alexis Nunez foi violentada uma vez por semana pelo ancião Maximo Reyes.

Ela processou judicialmente a Testemunhas de Jeová quando estava com 21 anos.

Revelou que a igreja desassociou (expulsou) o estuprador em 2004, mas o recebeu de volta em junho do ano seguinte.

Em 2008, a Justiça condenou a Thompson Falls e as entidades dirigentes da Igreja (Sociedade Torre da Vigia de Bíblias e Congregação Cristã das Testemunhas de Jeová) a pagarem por danos psicológicos e físicos Nunez em US$ 4 milhões e a US$ 31 milhões por indenização punitiva.

O juiz distrital James Manley, de Sanders County, julgou que a Congregação foi negligente por não denunciar Reyes à Polícia, além de tê-lo acolhido de novo.

Os advogados da igreja reconhecem que houve os estupros, mas alegam que a soma de US$ 35 milhões de indenização é “excessiva”, “chocante”, “desconcertante” e “ilegal”, porque, dizem, a legislação de Montana admite o teto de US$ 10 milhões.

Aguarda-se, agora, uma decisão da Justiça recursal.

O caso do estupro de Alexis Nunez é apenas um entre tantos que têm vindo à tona dentro da igreja Testemunhas de Jeová, que, sob esse aspecto, na metáfora, está sediada no inferno.




41 pessoas contam a jornal que foram abusadas por Testemunhas de Jeová

Testemunhas de Jeová da Holanda são denunciadas até agora por 278 abusos

Pregador das Testemunhas de Jeová confessa ser pedófilo

Testemunhas de Jeová queimam tudo que recebem de espíritas, menos dinheiro

Ex-Testemunha de Jeová conta como se transformou em ateu



Receba por e-mail aviso de novo post

Comentários

Emerson Santos disse…
Que Dels nos livre dos religiosos ...