41 pessoas contam a jornal que foram abusadas por Testemunhas de Jeová


Casos de
abuso podem
ser milhares

No Reino Unido, mais de cem pessoas contaram ao jornal The Guardian que sofreram na infânncia  abusos físicos de sacerdotes das Testemunhas de Jeová

Desse total, 41 se referem a violência sexual, como estupro, e o restante a diversas formas de coerção física e mental.

Deputados querem que o governo investigue as denúncias.

Alex Chalk, do partido conservador, por exemplo, suspeita haver muito mais pessoas que foram vítimas de pedofilia, levando em conta que as Testemunhas de Jeová mantêm um rígido acobertamento desse tipo de crime.


A deputada Sarah Champion, do partido trabalhista, afirma não estar surpresa porque sempre há um potencial de abuso em “uma entidade fechada com desequilíbrio de poder”.

Os dirigentes das Testemunhas de Jeová só concordam em investigar denúncia se a suposta vítima tiver duas testemunhas, o que na maioria dos casos isso não é possível, dada a natureza desse crime.

Rachel Evans, uma suposta vítima, disse ao jornal que há uma rede de pedofilia dentro das Testemunhas de Jeová desde a década de 1970.

Afirmou que os anciões (sacerdotes) pedófilos são transferidos de congregação ou submetidos a tratamento psicológico.

Com informação do The Guardian e de outras fontes.


TJs da Austrália acobertam mais de mil casos de pedofilia



A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Busca neste site