Justiça da Argentina condena padre a 17 anos de prisão por abuso de crianças

Moya permanece
em liberdade porque
 recorreu à segunda
instância da Justiça

A Justiça de Villaguay, Argentina, condenou o padre Marcelino Moya (foto) a 17 anos de prisão sob a acusação de ter abusado de dois adolescentes na década de 90.

Houve aplauso no Tribunal quando o juiz lei a sentença, no dia 5 de março de 2019.

Afastado de suas atividades de religiosos, Moya permanecerá em liberdade até que um tribunal de segunda instância confirme ou não a condenação.

Com informação das agências.




Aviso de novo post por e-mail

Igreja Católica da Argentina recusa pedidos de desfiliação

Argentina prende ex-freira acusada de abusar de menina

Argentina paga salário aos sacerdotes da Igreja Católica

Na Argentina, padres abusavam de crianças na 'Casinha de Deus'




Igreja ajudou ditadura argentina no silêncio sobre assassinatos


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

EDITOR DESTE SITE

Paulo Lopes é jornalista profissional diplomado. Trabalhou no jornal centenário abolicionista Diário Popular, Folha de S.Paulo, revistas da Editora Abril e em outras publicações. WhatsApp de contato.