Diarista espírita foi demitida por evangélica por causa de religião

Fernanda Almeida
disse não ter
ressentimento da
 empregadora

Em Belo Horizonte, a diarista Fernanda Matias Almeida (foto), que é espírita, foi demitida por uma empregadora evangélica por causa de religião.

“Ela [a empregadora] disse que, se soubesse que eu frequentava um centro espírita, me mandaria embora. Falei que, sim, que vou a um centro espírita, e ela disse: ‘Então, não quero que você trabalhe mais aqui, não gosto desse tipo de religião na minha casa’”, disse Fernanda ao jornal “O Tempo”.

A diarista também é manicure. Tem um filho de 20 anos e duas filhas, uma de 13 e outra de dois.

No Facebook, Gabriel Pedrosa, o filho, escreveu que estava revoltado “com o tamanho do preconceito no Brasil”, acrescentando já ter perdido um aluno quando os pais dele soube da “minha orientação sexual”.

“Minha mãe é guerreira, faz unhas desde antes de eu nascer, faz de gel, fibra porcelana e etc. Também faz faxina pra complementar a renda”, escreveu Pedrosa.

”Quem tiver interesse em algo do tipo, mandem jobs e me chamem inbox.”

Fernanda recebeu mais de 30 propostas de emprego, e agora tem trabalho para todos os dias da semana.

Ela falou não ter ressentimentos da empregadora evangélica.

“Na verdade, estou é agradecida. Graças ao preconceito dela, hoje estou bem melhor. Ela acabou me ajudando.”

Com informação de “O Tempo", do BHAZ e Facebook e foto da rede social.




Alunos evangélicos recusam trabalho de cultura africana

Traficantes evangélicos proíbem no Rio cultos de matriz africana

'Arrastão de Jesus' expulsa fiéis de religiões africanas de cemitério público de Niterói

Crenças de matriz africana sofrem mais discriminação



Receba por e-mail aviso de novo post

Comentários

Unknown disse…
esta santa eveangélica quando doente deve recusar medico e hospital que n
ao seja da santissima reçigião dela...demagoga e hipocrita