Bolsonaro tuita vídeo de padre antiaborto que defende uso de arma

O presidente Jair Bolsonaro publicou no Twitter um link para um vídeo de 24 minutos de 2011 do padre Paulo Ricardo de Azevedo onde o sacerdote defende o uso de armas para matar agressores.

Presidente sugere
vídeo do "Malafaia
 dos católicos"

Conhecido como ‘Malafaia dos católicos’, Paulo Ricardo é conservador e ativista da extrema direita católica.

O padre se opõe, por exemplo, à masturbação, até mesmo para colher sêmen para análise médica. Afirma que essa prática danifica o cérebro.

Defende a “família tradicional” (ou seja, é contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo) e é “pró-vida”, luta contra a legalização do aborto. Quase não faz referência ao papa Francisco, tido como progressista demais para ele.

Paulo Ricardo gravou o referido vídeo após o assassinato por um atirador de 12 alunos em uma escola da Zona Oeste do Rio.

No vídeo, o padre pró-vida diz: “O que é um homicídio, o que é matar uma pessoa? É tirar a vida do inocente. O pecado do homicídio é isso, mas aqui nós não estamos tirando a vida do inocente, estamos tirando a vida do agressor. A legítima defesa é cristã, é moral, perfeito”.

O “Malafaia dos católicos” fez campanha para Jair Bolsonaro e diz ser leitor de Olavo de Carvalho. Tem uma legião de seguidores nas redes sociais.

O jornal "O Globo" informa que há outro padres que defendem a posse de armas.



Com informação do Twitter e de outras fontes.



Aviso de novo post por e-mail

Padre Paulo Ricardo afirma que não crê na existência de ateus

Padre prega união religiosa mesmo sem consentimento de um cônjuge

Padre chama protestante de otário por falar mal de Maria




Na caça à nudez, Malafaia dos católicos critica a Capela Sistina


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários