Rocha desiste, e Partido da Universal vai ter de apoiar outro candidato


Empresário evangélico
 governar o Brasil com
base nos textos bíblicos
[opinião

Flávio Rocha (foto) desistiu de ser candidato à Presidência da República. Ele é filiado ao PRB, o braço político da Igreja Universal.

O partido da Igreja de Edir Macedo já está negociando dar apoio ao candidato tucano, o católico Geraldo Alckmin.

Rocha era um candidato a candidato que se amoldava a Partido da Universal.


Evangélico e dono das Lojas Riachuelo, ele dizia que ia arcar com os custos de sua própria campanha eleitoral e que, se eleito, governaria o Brasil com base na Bíblia.

Ele também contava com o apoio do MBL (Movimento Brasil Livre).

O PRB nunca acreditou que Rocha pudesse ganhar as eleições. Mesmo assim, com a candidatura, o partido obteria maior visibilidade na campanha eleitoral.

Nas pesquisas de intenção de votos, Rocha nunca superou os 1%.

Por isso ele resolveu enfiar a Bíblia debaixo do braço e voltar para as Riachuelo, onde tem criado problemas trabalhistas.

Como empresário, ele concluiu que o investimento nas eleições não valeria a pena.

Com foto de divulgação.


Neoconservadores evangélicos almejam conquista de poder

Crivella afirma que só o ‘Brasil evangélico é que vai dar jeito nessa pátria’

‘Deus nos livre de um Brasil evangélico’, escreve pastor




Datena desiste de candidatura ao Senado depois de conversar ‘muito com Deus’

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

-------- Busca neste site