Procuradoria admite que religião pode desequilibrar eleições de 2018


Eleições já
 tem um
perdedor, o
  Estado laico

[opinião]

A religião pode desequilibrar a disputa nas próximas eleições, admitiu Humberto Jacques, vice-procurador-geral Eleitoral.

A rigor, Jacques não diz nada de novo, porque as religiões sempre tentam obter votos para seus candidatos. E têm conseguido, como se sabe.

A diferença é que nas eleições de 2018 a interferência religiosa poderá ser muito maior, por causa das restrições de financiamento das eleições.

Ainda mais porque a Justiça Eleitoral é um judiciário que a maior parte do tempo finge que não existe.

O que vale também para a Procuradoria Eleitoral.

Com informação do Estado de S.Paulo.


Justiça proíbe uso da religião para obtenção de voto. Na Índia

Campanha da Atea pede que voto seja da razão, e não da fé




Jair Bolsonaro faz a ameaça de instituir um Estado cristão

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

  1. Não sei porque se importam tanto com essa fraude, tanto faz quem é eleito o importante é quem tochar o rabo dos politicos de dinheiro, e quem pode isso mais do que as igrejas, os banqueiros e os empresários.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

-------- Busca neste site