Papa comete abuso ao fazer marketing com menino de pai ateu


Francisco tirou
proveito da fragilidade
de um garoto

O papa Francisco saiu bem na fotografia do episódio do garoto que lhe perguntou se seu pai ateu, recentemente morto, estava no Céu.

O menino italiano Emmanuele (foto) estava com a voz embargada, em lágrimas.

Francisco disse ao menino o que qualquer um diria, mesmo um papa, a uma criança chorando.

Com larga divulgação aos jornalistas [ver vídeo abaixo], Francisco deu a entender ao menino que o pai ateu está no Paraíso: “Deus não abandona as pessoas boas”.

Mas essa não é a ortodoxia da Igreja Católica.


Sim, Deus não abandona as pessoas boas, mas, para serem boas, é preciso ser cristãs, aceitar Cristo, rezar o pai nosso, ajoelhar-se.

Se não fosse assim, a Igreja Católica teria de admitir a razão de não existir, a sua inutilidade.

Pra que rezar se até ateu vai para o Céu?

No caso de Emmanuele, o que fica evidente é que a Igreja Católica continua atormentando o imaginário de crianças e adultos com a escatologia do Inferno.

É como se ainda estivéssemos sob as trevas da Idade Média.

Outra observação:

Muitos padres têm sido acusados de abusar sexualmente de crianças.

Agora, é o próprio papa que abusa da imagem de uma criança para fazer marketing.


Com foto de divulgação.


Jornalista italiano se torna ateu de estimação do papa Francisco

Sim, papa Francisco, o Inferno não existe. E o Paraíso também não




A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

-------- Busca neste site