Justiça bloqueia bens de bispo católico acusado de roubo de dízimo


Dom  Ronaldo é
apontado como o chefe
da gang da batina

A 2ª Vara Criminal de Formosa atendeu a pedido do Ministério Público de Goiás decretando o bloqueio de bens e quebra de sigilo bancário do bispo José Ronaldo (foto), da Diocese de Formosa.

Dom Ronaldo e um grupo de religiosos foram presos preventivamente sob a acusação de terem desviado cerca de R$ 2 milhões do oferta é dízimo.

Na Operação Caifás, a Polícia Civil e o Ministério Público aprenderam com um suposto membro da quadrilha, o monsenhor Epitácio Cardoso Pereira, R$ 70 mil e dólares escondidos em fundo falso de armário.

A polícia começou a investigar o bando da batina em dezembro de 2017, a partir de pedido de fiéis para que a Igreja Católica de Goiás abrisse sua contabilidade.

Só a Diocese de Formosa controla 33 igrejas.

Com informação do Ministério Público de Goiás e de outras fontes.



Vídeo mostra promotor de justiça dizendo a bispo: 'O senhor está preso'

STF nega habeas corpus a bispo acusado de desviar R$ 2 milhões de dízimo




A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Busca neste site