Petição visa extinguir Testemunhas de Jeová de Portugal


Seita fundamentalista
não respeita os
direitos humanos

Uma petição on-line vai propor ao parlamento e à Comissão de Liberdade Religiosa de Portugal a extinção da religião Testemunhas de Jeová, com o “cancelamento imediato do seu registro de pessoas coletivas religiosas”.

Ricardo Pimentel, o autor da petição e ex-TJs, argumenta que não se trata de proibir “a fé e culto dos indivíduos”, mas impedir que uma organização religiosa submeta ex-féis à ostracização.


Em todo o mundo, as Testemunhas de Jeová são implacáveis com os desassociados (expulsos da religião) e com os dissociados (fiéis que saem por vontade própria), que passam a ser ignorados pelos seguidores da religião, incluindo os seus parentes, como mãe e pai.

Dirigentes das TJs negam a discriminação e argumentam que a desassociação pode ser “amorosa”.

Pela petição, a organização religiosa voltaria a ser aceita se comprometer a respeitar os direitos humanos.

Até este momento, a reivindicação tem 600 adesões. A Assembleia da República não a apreciará se não obtiver pelo menos 4 mil. Uma reivindicação semelhante já foi recusada.

Em abril de 2017, a Corte Suprema da Rússia baniu a seita fundamentalista.

Com informação da integra da petição e de outras fontes.



Testemunhas de Jeová experimentam do próprio veneno, a intolerância

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

  1. Tem que extinguir é a Maçonaria, que lá em Portugal domina tudo, como está acontecendo também aqui no Brasil! #ForaMaçons

    ResponderExcluir

Postar um comentário

-------- Busca neste site