Pular para o conteúdo principal

Céticos se distanciam de Lawrence Krauss após acusações de assédio


Físico teórico
diz ser alvo de
difamações

O divulgador de ciência e militante ateu Lawrence Krauss (foto) comentou a reportagem da BuzzFeed News que o aponta como um contumaz assediador sexual, rompendo um silêncio de duas semanas.

Ele argumenta que a intenção do site foi difamá-lo como integrante da comunidade cética.

Diz que os repórteres publicaram alegações contra ele mesmo quando ofereceu refutação.


Entre outros casos, Krauss é acusado de tentar ter sexo com um fã em 2006 em um hotel; de ter tocado no seio de uma mulher que o procurou para uma selfie [“a foto não mostra isso”, se defende]; e de na convenção de 2008 de ateus americanos ter passado a mão na perna de uma mulher por debaixo da mesa.

Krauss é casado.

Ele admite que, às vezes, é impetuoso e franco, podendo se tornar desagradável.

Pede desculpas por isso.

Embora se diga injustiçado pelo BuzzFeedk, Krauss diz que não pretende processar o site.

Desde a publicação da reportagem, ateus e organizadores de eventos científicos se distanciaram do físico teórico.

A Universidade Estadual do Arizona, onde é professor, colocou-o em licença remunerada, até que as apurações fiquem mais bem esclarecidas.

Com informação de comunicado de Lawrence Krauss e de outras fontes.




Vítima de padre pedófilo registra assédio em vídeo

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

  1. Olha quem voltou aos comentários! Nosso fanático religioso de estimação. Como vai?Não estávamos com saudade alguma de você...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Hospital de campanha de evangélicos em Nova York não aceita voluntários gays

Cristianismo é a religião que mais perseguiu o conhecimento científico

Vídeo: R.R. Soares manda o Covid-19 para o inferno, mas não tira a máscara do rosto